Carregando...

Alerta!

logo Levanta  a  cabeça  menino! ou, \ Levanta a cabeça menino! ou, \" Aprendendo com Ronaldo \' O FENÔMENO\' \" - Cláudio Silva - Colunistas - AN Notícias

Apucarana, 07 de Agosto de 2020

SAIBA MAIS

Dia de São Caetano -
Escolha um colunista:
Cláudio Silva
Educação
Ex-secretário de Educação em Apucarana e ex-presidente da UNDIME-PR. É proprietário da Escola Nossa Senhora da Alegria e Colunista do AN Notícias e Jornal Apucarana Notícias.
Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, pois o Site e Jornal Apucarana Notícias pode não comungar com as mesmas ideias.
21/02/2011 20h54

Levanta a cabeça menino! ou, \" Aprendendo com Ronaldo \' O FENÔMENO\' \"Como você reage diante dos problemas e dificuldades? Lições de vida de astros e personalidades como Ronaldo Fenômeno

Levanta  a  cabeça  menino! ou, \

Quantas  vezes  ouvi esta frase  da  boca  da  minha  saudosa mãe, D. Hilda! E  como  até  hoje  elas literalmente  me  levantam nos  momentos  difíceis. Um atleta começa  a vencer ou a perder no momento em que  pisa  no campo  de  batalha. Observe os  lutadores de  Boxe. Quando são apresentados tentam vencer um ao outro com o olhar. Naqueles segundos praticamente está  sendo decidida , por  antecipação,  a  luta.  Atletas  cabisbaixos  são o protótipo da  derrota  por  antecipação. Procure  lembrar-se  dos  grandes  nomes  do esporte  nas  mais  variadas modalidades. Igualmente, daquelas  pessoas  que  se  destacam em sua  áreas. Todos foram ou são altivos, autoconfiantes. Conscientes  de  seu potencial e  de  sua  capacidade  de  luta. Dispostos  a  dar até  a  última  gota  de sangue  por  aquilo que  acreditam,  por  seus  ideais. Poderíamos citar  Mohamed Ali, no boxe, Pelé , Maradona, Platini, Zico e Ronaldo no futebol, Ayrton Senna,  no automobilismo, para  ficar  em apenas  alguns dentre tantos exemplos  de  grandes  vencedores.  Todos  heróis que  do início  ao fim de  uma  luta, prova  ou partida, permaneceram de  “cabeça erguida”, jamais  se  deixando abater. Que  mesmo nos  momentos  mais difíceis  de  sua  carreira, alimentaram a confiança em si  e  a certeza  naquilo que  queriam. Sabendo reverter  toda  e  qualquer situação difícil  sem se  deixar abater  pelo desânimo, depressão e a tentação de “entregar  os  pontos”. Nestes  dias é  impossível não recordar  dos  momentos  difíceis  vividos   por Ronaldo  Fenômeno, quando muitos já  o davam  como acabado para  o futebol. Em determinados momentos, tudo parecia  já resolvido e os  problemas  físicos retornavam  e  ele  precisava  retomar todo  o tratamento  do início. Ou seja, voltar  à  estaca  zero. Somente  a força  interior, atributo  fundamental dos  grandes  e  fortes, que  fizeram com que pacientemente  ele refizesse  todo o trajeto e reocupasse  o lugar merecido na  galeria dos valorosos. Problemas  e  dificuldades todas  as  pessoas  têm. O importante  é  a  reação  que  cada  um  manifesta. Uns se abatem, desanimam, entregam os  pontos, desistem e  desaparecem na  história da vida. Outros  reagem, enfrentam, lutam de  forma ainda  mais  redobrada. Aproveitam para  tirar uma  lição ,identificar  as causas e se corrigir para que  não voltem a  acontecer. E  assim emergem ainda mais  fortalecidos  do que  antes. Sem os  problemas  os seres  humanos  e  a  própria  humanidade  não evoluiria. Eles  fazem parte  da  vida. E nos  ajudam , pois  com eles  aprendemos  e  crescemos. Se cada  ser humano  que  já passou por  algum problema entrasse  num processo de  depressão autodestrutiva, que  é  aquele decisão de  não mais  lutar, não haveria mais humanidade  à  esta  altura. Se  olhar ao seu redor  verá que  muita  gente,  com muito menos  condições, até físicas,  e  recursos do que  você, já  chegou muito mais  longe. Que  só de  ouvir  seus  depoimentos  morreríamos  de  vergonha. Analise  apenas  este de Luciana  Scotti, aos 32  anos, farmacêutica  e  autora  de “Sem Asas ao Amanhecer:-“A nossa  vontade  não tem limites. Essa  é  descoberta que  eu queria  ter feito  há  dez  anos, quando  perdi os  movimentos  e  a  fala  por  causa  de  uma  trombose cerebral. Minha  vida  poderia  ter acabado  ali, mas  não acabou. A cada  dia, eu superava  mais  limites. Fiz  mestrado  e  estou cursando  doutorado. Não falo, mas  dou  cursos. Só digito  com um dedo, mas  escrevo livros. Esse processo  teria  sido  mais  fácil  se  eu  tivesse  tido sempre  a  noção  da  força  da  minha  vontade” .Diante  dos problemas, faça como recomendava o compositor, “levanta, sacode  a  poeira  e  dá a volta  por  cima”. Aliás  já  não está  na  hora  de  darmos  a  volta  por  cima  em muitas situações  de  nossa  vida? O tempo não espera, e  a  vida não costuma  dar segunda  chance. Pense  nisso.

Um grande  abraço e uma boa  semana

                                  Professor  Cláudio Silva

*Cláudio Silva é mestre em Educação, Secretário de Desenvolvimento Humano de Apucarana-PR e presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação-UNDIME/PR.



Galeria de Imagens