Carregando...

Alerta!

logo SAIA DO TÚMULO! É HORA DE REAGIR! - Cláudio Silva - Colunistas - AN Notícias SAIA DO TÚMULO! É HORA DE REAGIR! - Cláudio Silva - Colunistas - AN Notícias

Apucarana, 04 de Agosto de 2020

SAIBA MAIS

Dia da Campanha Educativa de Combate ao Câncer - Dia de Sta. Clara - Dia do Padre -
Escolha um colunista:
Cláudio Silva
Educação
Ex-secretário de Educação em Apucarana e ex-presidente da UNDIME-PR. É proprietário da Escola Nossa Senhora da Alegria e Colunista do AN Notícias e Jornal Apucarana Notícias.
Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, pois o Site e Jornal Apucarana Notícias pode não comungar com as mesmas ideias.
30/04/2011 15h04

SAIA DO TÚMULO! É HORA DE REAGIR!A Páscoa e a lição do técnico Bernardinho do vôlei

SAIA DO TÚMULO! É HORA DE REAGIR!

                                       * Por Cláudio Silva

A grande mensagem da Páscoa é a ressurreição, transmutação de morte em vida. Diante das dificuldades, que poderemos denominar de “períodos de morte”, pode-se ter atitudes diversas como desistir, parar e lamuriar, ou então transpor a “pedra” que se interpôs no caminho, e seguir em frente. Em outras palavras, ressuscitar.

A história é pródiga em grandes exemplos. Lembram-se da suíça Gabrielle Andersen?  Sua imagem foi imortalizada entrando trôpega no Coliseu, na final da prova da maratona das Olimpíadas de Los Angeles de 1984. Talvez, poucos recordem o nome da vencedora daquela prova, que inclusive foi a primeira maratona olímpica feminina da história dos jogos. Mesmo chegando em 39º. lugar, Andersen é o nome mais lembrado, pela lição de vontade e determinação que deixou. Paradoxalmente, mesmo perdendo, foi a grande vencedora. Nem sempre quem perde é o fracassado.  Aliás, a título de registro, a prova foi vencida pela norte-americana Joan Benoit Samuelson. Outro exemplo histórico foi Abraham Lincoln, que teve em vida todos os elementos para ser lembrado apenas como o protótipo do derrotado. Mas o que ressalta em sua biografia, é de que antes de vencer a eleição para presidente dos Estados Unidos em 1860, como o primeiro presidente republicano, havia sido derrotado em eleições várias vezes.

Os vencedores tentam, e eventualmente perdem, os perdedores nem mesmo tentam. A grande diferença está em que os primeiros não desistem. Penso que um trecho do livro Transformando suor em ouro, do vitorioso técnico de voleibol Bernardinho, descrevendo seu sentimento após sofrer uma grande derrota pessoal, possa ser apropriado para auxiliar a reflexão:

 

“Fiquei com a sensação de que tudo acabara, de que minha vida no voleibol chegara ao fim. Um sentimento horrível de derrota pessoal. Meu pai percebeu como eu estava me sentindo e quis me tirar da cabeça a ideia de que meu mundo desmoronara: ‘Você está apenas começando. Trate de treinar mais, levantar a cabeça e seguir em frente, que tudo vai dar certo’, disse ao me ver abatido, choroso.

A história do sábio chinês que presenteou o imperador com um livro cabe perfeitamente aqui.  O livro tinha apenas duas páginas.  Ao dá-lo, o sábio explicou: ‘ No momento mais triste de sua vida, senhor imperador, leia a primeira página e feche o livro. E no momento mais feliz, leia a segunda.  O presente terá atingido seu objetivo. ’

Tempos depois, o azar abateu-se sobre o império.  Uma peste matou parte da população, uma praga destruiu a lavoura, bárbaros invadiram as terras saqueando o que sobrara. Desesperado, o imperador lembrou-se do livro. Na primeira página somente uma frase curta: ‘Isso vai passar. ’ Incansável  e  laborioso, ele  convidou seus  conselheiros  e  pediu  o apoio de  seu  povo  para  expulsar  os invasores, debelar  a  peste  e  recuperar  a  lavoura.

Mais tarde, sua única filha casou-se com o filho de um imperador vizinho e os dois países se uniram num único e imenso império.  Feliz da vida, o imperador lembrou-se novamente do livro e foi direto à segunda página, onde se lia apenas outra frase curta: ‘Isso também vai passar. ’ Moral  da história:  não  devemos  nos  embriagar  pelas  grandes alegrias nem nos  deixar abater  pelas  grandes  tristezas. (p. 35-36).”

 

A mensagem da Páscoa, nos exemplos de dor, morte e ressurreição deixados por Jesus Cristo, deve transcender para as questões vitais nas quais nossas vidas estão envolvidas. E fortalecer a consciência de que é possível e importante continuar. Senão por nós, mas pelo menos por aqueles que precisam de nós e contam conosco. É como se se assemelhasse a sair do túmulo para poder continuar, porque a realidade aparente parece querer impor o contrário. São nestes embates que também se constrói a vida. Sobretudo quando se procura vivê-la com dignidade e generosidade, fazendo com que ela seja instrumento de ressurreição para outros mais necessitados! Não foi este o grande exemplo de Jesus?

Um abraço e uma boa semana!
( SE ACHOU ESTA CRÔNICA INTERESSANTE POSTE O SEU COMENTÁRIO ABAIXO. A SUA OPINIÃO É MUITO IMPORTANTE PARA NÓS. GRATO, OS EDITORES.)

*Cláudio Silva é mestre em Educação, Secretário de Educação de Apucarana-PR e ex- presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação-UNDIME/PR.                                                                                                                       (mais textos do professor poderão ser acessados em http://profclaudiosilva.blogspot.com)

Bibliografia:

  • BERNARDINHO. Transformando suor em ouro. Rio de Janeiro: Sextante, 2006.

Galeria de Imagens