Carregando...

Alerta!

logo VIVER É UMA ARTE - Cláudio Silva - Colunistas - AN Notícias VIVER É UMA ARTE - Cláudio Silva - Colunistas - AN Notícias

Apucarana, 24 de Junho de 2018

SAIBA MAIS

Dia Internacional da Ufologia -Dia das Empresas Gráficas - Dia do Caboclo - Dia do Disco Voador - Dia de São João -
Escolha um colunista:
Cláudio Silva
Educação
Ex-secretário de Educação em Apucarana e ex-presidente da UNDIME-PR. É proprietário da Escola Nossa Senhora da Alegria e Colunista do AN Notícias e Jornal Apucarana Notícias.
Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, pois o Site e Jornal Apucarana Notícias pode não comungar com as mesmas ideias.
25/01/2016 01h45

VIVER É UMA ARTEO desafio de viver com qualidade de vida

 Obs.: Recomenda-se fazer a leitura ouvindo a trilha musical sugerida, que a inspirou
                                      VIVER É UMA ARTE
                                                             *Por Cláudio Silva
“Há três métodos para ganhar sabedoria: primeiro, por reflexão, que é o mais nobre; segundo, por imitação, que é o mais fácil; e terceiro, por experiência, que é o mais amargo.” ( Confúcio)
 
Você está vivendo ou apenas suportando a existência? Pessoas alegres e positivas vivem mais. É o que apresenta o livro “Felicidade  autêntica” do psicólogo norte-americano Martin Seligman, ilustrando com um estudo científico que identificou essa possibilidade.

O grupo pesquisado foi constituído por 180 freiras, por apresentar características mais ou menos homogêneas - vida rotineira e protegida, horários e hábitos alimentares, assistência médica, e não exposição aos malefícios da vida contemporânea como comportamentos, alimentação inadequada, bebidas, cigarros e atividades estressantes. E mesmo assim foi grande a variação de vida e saúde identificada dentre os pesquisados. No grupo caracterizado como mais alegre 90% das pessoas viveu até os 85 anos em média, contra 34% das menos alegres.  A idade de 94 anos foi atingida por 54% das mais alegres, contra 11% das menos alegres.  

Viver mais e com qualidade é uma questão intrigante nesta vida, dita moderna, em que se paga um alto preço pela pressa, correria, alimentação inadequada, consumismo gerador de permanente endividamento - a fatura do cartão que o diga; e exposição a situações de estresse. Aspectos que acabam contaminando os relacionamentos, além de  danificar terrivelmente a saúde. Os problemas da vida você acaba sentindo no corpo e na alma. Um sinal vermelho são aqueles dias em que se fosse possível optar não sairíamos da cama.

Ouví certa vez de um amigo - "Detesto aquela musiquinha do Fantástico, porque me enche de angústia, é como se avisasse que amanhã será novamente segunda feira e vai começar tudo de novo!" A pergunta que não quer calar está ali sempre nos incomodando - Você vive ou resigna-se a suportar a existência?

O mês de janeiro já está indo embora, mas ainda é tempo propício para reorientar as ações para um ano com mais qualidade de vida. Apesar de avesso a receitas mágicas, ouso elencar pequenas disposições, todas amplamente conhecidas, mas que são sempre úteis : controle das finanças pessoais, porque gastar sem controle é um caminho perigoso e com desgastes previsíveis ; planejamento da sua rotina, alivia as tensões; cuidados com a alimentação e prática regular de atividades físicas, impactam na saúde, humor e disposição para o trabalho; cultivo da fé, fortalece e equilibra; descomplicar a vida e ser mais compreensivo e paciente consigo mesmo e com os outros; ter objetivos a alcançar e projetos de vida pelos quais se trabalha e se luta – a vida sem objetivos é insossa e sem sentido. E não poderia deixar de retomar a importância da cultura, porque alimenta o espírito – livros, filmes, música, teatro, museus, viagens . Aqui a situação se assemelha à alimentação mesmo, à comida que ingerimos no dia a dia. O que nos leva a decidir entre produtos artificiais, como aqueles salgadinhos "chips" populares, ou optar por alimentos naturais saudáveis, de qualidade.

Há muito lixo rodando por aí, muito "chips", em termos de música, literatura, programas de rádio e TV, jornal e internet, contaminando a saúde espiritual das pessoas. A sabedoria convida a filtrar dentre as opções existentes, aquelas que verdadeiramente irão acrescentar algo, ajudar a crescer como seres humanos, cidadãos, profissionais. O gênio humano produziu e continua produzindo obras que são consideradas essenciais, e que merecem o dispêndio de tempo e atenção. Como dizia outro dia um comentarista num programa de TV - quem passar pela vida sem ter lido, por exemplo, “Os Sertões” de Euclides da Cunha, terá perdido uma oportunidade de conhecer um pouco do que de melhor já se produziu na literatura. Como observa a escritora Martha Medeiros em "Coisas da Vida", “o livro salva quem nele se vicia. Salva quem não consegue se saciar. Quem quer saber mais, conhecer mais, se aprofundar mais. É imersão. Mergulho. Salva a gente da secura da vida.”

Segundo Seligman disposições dessa ordem, somadas à traços de caráter e qualidades  como bondade, originalidade, humor, otimismo e generosidade, imprimem um equilíbrio com reflexos em nosso estado de espírito e consequentemente em nossa saúde. Concluímos com uma frase do filme “The Guardian” do diretor Andrew Davis, lançado no Brasil como “Anjos da vida – mais bravos que o mar” : “Envelhecer não é ruim, é para quem merece!” 
 
Pense Nisso!
                                                   24 de janeiro de 2016
(ANOTE ABAIXO A SUA MENSAGEM)
*Cláudio Silva é mestre em Educação, ex- Secretário de Educação de Apucarana-PR e ex- presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação-UNDIME/PR. Diretor da Escola Nossa Senhora da Alegria.
 
*LEIA TAMBÉM A CAMPEÃ DE ACESSOS  “AS RAPOSAS E O GALINHEIRO”
                                                                                                              (MAIS CRÔNICAS do professor poderão ser acessadas no site Prof. Cláudio Silva Educacional)
Ficha Técnica: Estrutura: Jornalista Cláudia Alenkire Gonçalves da Silva – MTE 000 9817 /PR Revisão:  Psicóloga Mestranda USP Cláudia Yaísa Gonçalves da Silva - CRP 06/11120 e acadêmica de Direito Cláudia Layla Gonçalves da Silva.