Carregando...

Alerta!

logo Testemunho Pr. Artur Escobar - Pastor Artur Escobar - Colunistas - AN Notícias Testemunho Pr. Artur Escobar - Pastor Artur Escobar - Colunistas - AN Notícias

Apucarana, 25 de Setembro de 2018

SAIBA MAIS

Dia do Rádio e da Radiodifusão - Dia da Tia Solteirona - Dia de Santa Aurélia - Dia do Auditor da Justiça Desportiva -
Escolha um colunista:
Pastor Artur Escobar
Religião
Filho de Artur Baumart(In memoriam) e Eva de Lurdes Escobar, Pastor Artur Leandro Escobar, nasceu em 03 de fevereiro de 1982, na cidade de Restinga Seca-RS. Casou-se dia 28 de fevereiro de 2004 com Angélica da Costa Escobar e deste abençoado matrimônio nasceram dois filhos: Isadora e Davi da Costa Escobar. Ex jogador de futebol profissional, atuou no Guarani de Venâncio Aires-Rs, Botafogo-RJ, Edessaikos-Grecia, Ituano-SP. Converteu-se ao evangelho no ano de 2001. No dia 20 de outubro de 2016 foi ordenado a Pastor pela CIADEP (Convenção geral das Igrejas Evangélicas Assembleia de Deus no Estado do Paraná), que é vinculado a CGADB (Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil). Bacharel em teologia pela Unifil. Professor da Escola Biblica Dominical, e atualmente Pastor na Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Apucarana no Jd. Independência.
Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, pois o Site e Jornal Apucarana Notícias pode não comungar com as mesmas ideias.
23/06/2017 11h37

Testemunho Pr. Artur EscobarEntrevista | Jornal Integração - Restinga Seca-RS

Entrevista na integra.

Artur Leandro Escobar
O garoto desistiu de jogar no Napoli/ITA
para atuar em outro clube...
Nasceu em três de fev/1982 em R. Sêca. Filho de Artur Baumart
(in memoriam) e Eva de Lurdes Escobar. Casado com Angélica
Pereira da Costa na cidade de Apucarana-PR (onde reside), em
28. 02. 2004. Pai de Isadora, 8 anos, e Davi, de 4 anos.

INFÂNCIA DIFÍCIL:
Um pouco conturbada, até porque perdi minha referência que era meu pai muito cedo. Eu tinha apenas 10 anos de idade. Ficaram: eu, minha mãe e minha irmã de 2 anos sem chão e sem recursos financeiros. A mãe não tendo estudo, facilitou para que pessoas a deixassem sem o que era dela e nosso por direito, pois todas as propriedades que tínhamos na Lomba Alta foram vendidas e a única coisa que nos deram como direito foi uma casa de 40m² na Vila São Luiz. Frustrado pelo desprezo passei a conviver na Vila São Luiz com a maioria dos jovens e adultos envolvidos com o álcool e com as drogas, mas graças a Deus que o Senhor me guardou e não deixou em nenhum momento eu me tornar um dependente. Os momentos de alegrias que tive na minha infância foram todos eles envolvidos em um campo de futebol.
HEROÍNA: Perdi meu pai muito cedo, mas o tempo que ele esteve comigo, nosso relacionamento foi muito bom. Presente e que sempre deu bons conselhos e que carrego até hoje. Minha mãe foi, e sempre será para mim, uma heroína, uma mulher extraordinária, guerreira...me faltam adjetivos para falar dela.
ESTUDOS: Infelizmente estudei só até a 5º série em R. Sêca, Esc. Francisco Giuliani. Só depois que parei de jogar futebol, que conclui o Ensino Fundamental e o Médio. Sou bacharel em Teologia e cursei dois anos de Psicologia, pretendo retornar para curso de Psicologia em 2018 e concluir os 3 anos faltantes.
JOGADOR PROFISSIONAL:
Iniciei minha carreira maior no ano de 1997. Tinha 15 anos, após ter sido convocado para a seleção de R. Sêca, para o Interseleções em Nova Palma. Fomos campeões e eu o melhor jogador do torneio. Naquele dia havia dois olheiros do Guarani/Venâncio Aires, que me levaram para disputar o Campeonato Gaúcho Infantil desse mesmo ano. Atuei de meia esquerda. Acabamos em 5º lugar, perdendo nas quarta de finais pro Inter-RS, que acabaria campeão. De lá, fui jogar em uma escolinha do Renato Gaúcho em Candelária-RS/1998, de meia esquerda. Fomos campeões do Gauchão Esperança, Infanto-Juvenil. Fui o jogador destaque do campeonato. De lá fui contratado pelo Botafogo-RJ para atuar no outro ano como lateral esquerdo no Juvenil, no ano de 1999. Como no Botafogo fiz um bom campeonato, o meu empresário, Renato Gaúcho, me levou pro Edessaikos na Grécia em 2000, onde com 18 anos assinei meu primeiro contrato como profissional, para ganhar na época 2.500 dólares por mês, quase R$ 10.000,00 aqui no Brasil. Pergunta pra mim se eu comprei uma bicicleta com esse dinheiro? Como não havia estrutura e alguém como referência para me aconselhar, infelizmente joguei tudo fora. Terminei o ano e o contrato na Grécia, rompi o contrato que tinha com o Renato Gaúcho e fiz um com o Alemão, o volante que jogou a Copa do Mundo em 1986 e também no Napoli-ITA, e o Oliveira Júnior que era o atual presidente do Ituano. Levaram-me para jogar no Ituano no ano de 2001. Fazia 5 anos que o time disputava a Série A2 do Paulista. Quando subiu, em 2001, ano em que eu estava no elenco do time, conquistou o principal título de sua história: foi campeão Paulista de 2002. Nesse ano tive a oportunidade de jogar com o Richarlyson, Pierre, Lucio, Aender, Da Silva, Elson, entre outros.
NA GRÉCIA:
Com relação ao futebol foi muito boa a temporada lá. Tive a oportunidade de conhecer vários lugares. O problema maior era a solidão, o fato de estar longe dos amigos e familiares em um pais extremante diferente com relação a cultura que você esta acostumado. O clima, a língua, enfim, dentro dos gramados foi um sucesso, agora fora não foi nada fácil.
COMO DEIXOU O FUTEBOL?
É uma pergunta que fazem e 90% não consegue entender minha resposta. Tudo começou quando eu ainda estava jogando no Ituano/SP. Teve um jogo dos juniores entre o Ituano e o Palmeiras e decisivo para nós e, naquele jogo, eu sairia como titular, o jogo da minha vida, pois na época o Roberto Carlos estava no auge da carreira e, com ele havia saído do Ituano para o Palmeiras e seu empresário também era o Oliveira Junior, como eu era nessa época lateral esquerdo e tinha as mesmas semelhança que ele, pois tenho até uma reportagem que saiu do jornal da cidade me comparando com a mesma forma de jogar da dele, nesse dia haveria uma mobilização da diretoria do Ituano, junto com a do Palmeiras para me ver jogar. Mas no treino recreativo e leve, na sexta feira, um companheiro chegou firme e como fui bem tranquilo na jogada, naquele lance rompeu meu ligamento colateral medial do joelho, afetando um pouco meu ligamento cruzado. Tirei a ressonância magnética e no resultado constatou que eu deveria fazer uma cirurgia. Achei que seria o fim da minha carreira. Passou uma semana, o médico marcou a cirurgia para próxima, que seria numa segunda feira. Na sexta feira anterior eu estava muito triste com a situação, quando de repente apareceu meu parceiro de clube, o Aender Naves Mesquita, que hoje esta jogando no Tai Po FC (South China Football Team), e me disse: Artur; eu conheço um homem que pode te curar.? Aí, pensei e disse: ?sério?? E ele: ?sim.? Nisso eu lembrei do meu pai que era"Pai de Santo", que na minha inocência achava que também era um curandeiro e que poderia curar meu joelho. Quando o Aender falou aquilo, pensei: pronto; é disso que eu preciso. Falei pra ele me levar e fomos e eu com tala no joelho, usando muleta e sem ele avisar ninguém. Chegamos e havia uma senhora de uns 75 a 80 anos na casa. Pensei: cadê o homem dessa casa? O tal homem...Passa um tempo e nada de aparecer o homem. De repente a senhora disse: ?Pois é: hoje pela manhã eu estava orando e Deus me falou que viriam dois jovens aqui na minha casa hoje a tarde. Deixa eu sevir um café que preparei...? Pensei; como assim, eu não tinha falado nada pro Aender que viria aqui na casa dessa mulher. Como ela sabia que eu estaria aqui, e o tal homem que não aparece nessa casa? Cadê ele? Nisso ela levantou, terminou o café e disse: "Jovens, vêm comer!" Levantei de onde estava sentado na sala e fui pra cozinha, cheguei lá com meu amigo e a mulher disse: ?Vamos orar.? Pensei; orar? Eu nunca orei na minha vida, essa mulher deve estar louca. Tá bom, deixei ela orar. Ela começou a orar e não parou mais. Pensei; essa mulher deve estar fora de si. De repente ela começou a falar em outras línguas (línguas dos anjos). Quando ouvi aquilo fiquei assustado. Ela começou a chorar e vir pro meu lado. Na hora pensei em correr, mas como estava com o joelho machucado, com duas muletas e uma tala no joelho, não tinha nada o que fazer. Ela chegou perto de mim e colocou a mão no meu ombro e disse: "Jovem, Deus manda eu te dizer, que ele vai repreender agora toda a maldição que há sobre a sua vida (pois eu já havia sido consagrado no terreiro do meu pai, seria eu o sucessor dele), vai te arrancar do futebol, vai te fazer um pregador do evangelho e pra, provar que é Deus que está falando contigo, o homem que você procura já chegou aqui, e esse homem é Jesus, e como prova que ele está aqui ele vai te curar é agora! Naquela hora eu senti uma presença tão grande de Deus que eu nunca havia sentido na minha vida. Chorei como nunca. Sentei à mesa, quase nem consegui tomar o café e fui pro alojamento. Deitei na minha cama e pensei: Jesus pode até me curar, pode até me fazer um pregador do evangelho, mas Ele jamais vai me tirar do futebol, pois esse é meu sonho. No outro dia era sábado, fui para o departamento médico do clube e como sábado era dia de jogo, o médico nunca ia no clube. Naquele dia ele apareceu. Chegou e me viu deitado na maca, se aproximou de mim e disse: ?E aí, Artur; vamos fazer a cirurgia na segunda-feira?. Respondi: vamos doutor, fazer o quê? Chegou perto de mim e disse: "Deixa eu ver o teu joelho". Começou a fazer os testes que sempre fez. De repente mudou o semblante e disse: "Artur, o que aconteceu?" Eu respondi: sei lá, doutor. Por que? ?Seu joelho esquerdo está melhor do que o direito". Lembrei e disse: Doutor! Foi a velhinha, a velhinha!" Disse ele: "quê velhinha?" Falei: Doutor, fui numa velhinha ontem e ela disse que Jesus ia me curar, e Ele me curou! Incrédulo disse: "Para rapaz, deixa isso pra lá, segunda feira ao invés da cirurgia vamos fazer outra ressonância pra ver o que aconteceu". Fez a ressonância. Meu joelho esquerdo estava melhor do que o direito. Na outra semana eu treinava de novo. Jesus havia operado um milagre na minha vida. Voltei a jogar e, como a temporada estava terminando e eu já estava com um contrato assinado com o Napoli da Itália, fui para Maringá-PR, treinar até abrir a temporada no Napoli, porque lá os clubes estavam de férias.
GUINADA:
Quando estava em Maringá treinando para ir pro Napoli. No hotel, a noite e sozinho, pensei: Vou dar uma volta. Passei em frente a uma Igr. Evangélica chamada Batista Renovada e, como havia ganho um CD da Igreja Batista da Lagoinha do amigo Aender, pensei: Deve ser a mesma coisa. Entrei. Ninguém me conhecia e no dia desse culto havia mais ou menos umas 1500 pessoas sentadas. Sentei em um dos últimos bancos e o Pr. Celso Santos, presidente da igreja, começou a pregar, e no meio da mensagem ele interrompeu e disse: "Aonde está o Artur Escobar? "Pensei: Pronto, não me faltava mais nada. Que homem é esse que está me chamando? Como sabe meu nome? Ele continuou: ?Artur... Se coloca de pé porque eu tenho uma Palavra de Deus ao teu coração". Resisti firme, fiquei sentado, não levantei e ele continuou pregando. Achei que estivesse esquecido de mim. Agora vou embora! Nisso ele disse: "Artur: coloque-se em pé se não eu vou te buscar.? Quando falou isso, me assustei e fiquei em pé. Então disse: "Jovem; hoje a tarde eu estava orando e Deus disse que você estaria aqui, portanto, assim diz o Senhor pela segunda vez, vou te arrancar da sua profissão e fazer pregador do Evangelho e, pra provar que é Deus quem fala com você, nesta hora ele está te entregando o dom da Palavra e vai te encher do Espirito Santo.? Na hora fiquei cheio da Plenitude do Senhor. Acabou o culto falei: "Pastor, você tem certeza de que foi Deus quem falou com  você?? Respondeu: "Sim." Emendei: "Se tens tanta certeza que foi Deus, eu sou jogador de futebol, estou com um contrato  assinado pra ir pro Napoli/ITA, se você arrumar serviço nem que seja de seu motorista, largo tudo pra servir a esse Jesus?. Ele deu uma risada e disse (olhando dentro dos meus olhos): ?Jovem, você tem certeza do que está falando?" Respondi: Eu tenho. Então falou: ?Artur, tem um pastor da minha igreja que cuida de um centro de recuperação de dependentes químicos e hoje ele me ligou perguntando se eu conhecia algum motorista porque está procurando um para a chácara e não acha, então você é a pessoa que Deus enviou. Aceita?" Pera lá, deixa eu pensar primeiro...amanhã te dou a resposta. Fui para o hotel, pensei: e agora? Como vou avisar meu empresário, mãe, namorada e amigos? Liguei pra namorada e disse: "Fui na igreja dos crentes, aceitei Jesus, vou ser pregador do evangelho e vou parar de jogar bola". Ela respondeu: "Se você for crente e parar de jogar a partir de hoje não precisa ligar mais pra mim porque eu não sou mais a tua namorada". Pensei: perdi a namorada! Falei pro meu amigo que ia pra Itália comigo. Olhou pra mim e disse: "Você está louco, vai abandonar a sua carreira agora? Esses pastores são doidos e fazem lavagem cerebral na mente do homem. Para com isso, deixa de ser bobo." Liguei pro Alemão e ele disse: "Para, não faça isso, vou mandar a passagem pra você, vem pra São Paulo e pago um tratamento com um psicólogo para ele tirar isso da sua cabeça." Pensei: Será que eu estou ficando louco? Está todo mundo contra mim. Fui dormir e, ao pegar no sono, senti uma mão gelada apertando o meu pescoço. Comecei a me sentir sufocado,  mas não tinha força pra falar nada. Achei que eu ia morrer. Foi uma opressão maligna terrível. Então lembrei do que o pastor havia pregado, quando na mensagem disse: "Se alguém algum dia se sentir oprimido quando estiver dormindo, ver vultos, sentir medo, pesadelos, clama pelo Sangue de Jesus." Naquela hora eu, em pensamento, disse: "O Sangue de Jesus tem Poder, aquela opressão saiu de mim, as portas do armário do hotel bateram, os cachorros começaram, lá fora, a gritar e a morder uns aos outros, levantei na cama assustado, tomado de suor e com muito medo. Foi quando olhei ao meu lado da cama e vi a Bíblia. Abri sem saber aonde estava abrindo e caiu em Isaias 41:10. Senti muito a presença de Deus naquele momento e então fui dormir de novo e, ao dormir, tive um sonho e que vivo ele como se tivesse acontecendo agora. Sonhei que estava na beira do Rio Vacacai, nas Tunas, e nesse dia o rio estava com as águas cristalinas e havia muito peixe pulando... Aí disse pra minha mãe: "Mãe, vamos pescar? Ela: "Vamos meu filho!" Quando lancei a primeira vez a minha linha, logo peguei um grande peixe e, depois, cada linhada que dava era um peixe que eu pegava e colocava na cesta que estava com a mãe. Ao encher as duas cestas de peixe eu disse: ?Mãe, vamos embora? Ela concordou. Quando eu recolhi a linha da minha carretilha pra ir embora, olhei para trás e vi um homem de preto e ao, lado dele, muitos outros, sem nenhuma possibilidade de contar. Um exército de homens de preto e um líder. Aquele líder se aproximou de mim e disse: "Me devolve meus peixes!? Eu disse: Que peixes? Ele respondeu: ?Esses do cesto! Respondi: Eu não, esses peixes são meus, fui eu que pesquei, se você quiser, você pesca lá no rio, lá tem mais. Ele disse: ?Não, aqueles lá já são meus, eu quero esses que você pegou?. Falei: Esses eu não te dou. Nisso ele veio pra cima de mim, fiquei com medo e comecei a recuar de onde estava e acabei colocando os meus pés dentro da água. Quando isso aconteceu senti um refrigério, um homem de branco apareceu do meu lado e colocou a mão no meu ombro e disse: ?Não temas, porque eu estou contigo; não te assombres, porque eu sou teu Deus; eu te fortaleço, te ajudo e te sustento com a destra da minha justiça, deixa eles comigo?. Foi pra cima deles, que correram. Acordei e vi que era um sonho. O dia estava raiando e fui procurar o pastor Celso pra contar a ele o sonho e dar a ele a resposta. Ao contar o sonho pra ele com todos os detalhes o Espirito Santo deu a ele a interpretação dizendo: ?Artur, o rio é o mundo, lugar onde nós vivemos; os peixes são as almas, as pessoas; sua mãe é a igreja, lugar aonde você vai colocar as almas, as pessoas que você pescar e ganhar pra Jesus; o homem de preto o líder é o diabo, o nosso adversário, que vai lutar para impedir das almas serem salvas e os homens de preto são os demônios que estarão batalhando junto com ele; o Homem de Branco é Jesus que vai estar contigo o tempo todo e você é o pescador, o mesmo que Pedro, que Jesus disse em Mateus 4.19: "Vinde após mim e Eu vos farei pescadores de homens". Naquela hora eu entendi que era uma confirmação de Deus pra minha vida. Fui para o hotel, peguei as minhas coisas e abandonei minha carreira para atender o chamado de Jesus.
O ENCONTRO:
Foi um dia muito especial, foi um divisor de águas. Eu vivia como os homens dessa geração: Eles conquistam o espaço sideral, mas se perdem em suas paixões. Pesquisam e descobrem os segredos da ciência, mas não conhecem os segredos do coração. Criam mais e mais religiões, mas estão cada vez mais confusos desesperados e rendidos à perversão moral. Tornam-se radicais seguidores de seus profetas e gurus e ficam mais violentos e primitivos. Outros abandonam toda sorte de crença e se capitulam ao humanismo ateísta e se tornam assaz truculentos. Eu vivia assim sem Cristo e sem Jesus a vida perde o referencial. Só Jesus pode dar sentido à vida, ao mundo, à história! E foi exatamente isso que eu encontrei, o Caminho, a Verdade e a Vida. E a partir dai tudo mudou. A vocação para o pastorado é a mais sublime das todas as vocações. A vocação é quando todas as outras portas estão abertas, mas você só anseia entrar pela porta do ministério. São algemas invisíveis .O pastor não é um voluntário, mas um chamado. O seu ministério não é procurado, é recebido. Sua vocação não é terrena, é celestial. Sua motivação não está em vantagens humanas, mas em cumprir o propósito divino. E foi isso que aconteceu comigo, Deus me vocacionou para a sua obra num tempo em que todas as portas estavam abertas para mim no futebol.
EM RESTINGA:
E a segunda vez que eu estive ai pregando, no mesmo mês de maio de 2016 estive ministrando no aniversario de 15 anos da Igreja Evangélica Palavra Viva, e foi através desse trabalho que recebi o convite para estar na Igreja Evangélica Assembleia de Deus e, pra mim, isso se torna uma honra incomensurável.
COMO FOI PARAR DE JOGAR PARA PASTOREAR?
Não foi fácil, pois a renuncia e as provações foram muito grande, mas vou citar pelo menos três aqui;
Primeiro foi logo que parei de jogar, imagina um jovem que estava ganhando bem, sempre andando com roupas e sapatos de marca, ir morar em uma chácara em meio ao mato para cuidar de alcoólatras e dependentes de drogas, para ganhar 50% de um salário. O centro de recuperação já fazia mais de cinco anos que estava aberto e a prefeitura mandava todo o mês um valor em dinheiro para manter a chácara. Em seis meses que eu fiquei lá eles não mandaram sequer um real, e ai não tinha como eles me pagarem. Lembro-me de um dia acabar meu dinheiro, pois o que eu tinha do futebol já havia acabado e não podia pedir pra ninguém da minha família, até porque não tinham condições e tinha que manter o status de que comigo estava tudo bem. Fazia três meses e, então, fui para a igreja, da chácara onde eu estava. Mais ou menos 2km de estrada de chão no meio do mato, escuro e mais uns 5km até a igreja num local iluminado. Na ida foi tranquilo, até por que era de dia. Cheguei no culto e encontrei meus amigos que ainda estavam jogando e que eu havia ganho eles pra Jesus. Participamos do culto juntos e, quando acabou, meus amigos disseram: Vamos comer um lanche? Respondi: Vamos. Quando eu disse isso, lembrei que não tinha nenhum real no bolso pra pagar o meu lanche e que era acostumado a pagar para os meus amigos. Logo inventei uma mentira, pequei naquele dia, rsrs, e disse: Hoje preciso chegar mais cedo na chácara porque ela vai fechar em outro horário e preciso pegar o próximo Ônibus. Eles entenderam e fui embora, mas como não tinha dinheiro fui a pé. Enquanto estava no lugar iluminado foi tranquilo, o problema foi quando cheguei nos 2km quer era um breu de escuro. Na metade do caminho ouvi uma voz dizendo: Viu! i! Viu seu bobo, você abandonou a sua carreira pra servir a esse Jesus! Olha ai o que ele fez com você! Hoje você não tem dinheiro pra comer um lanche e não tem dinheiro pra pagar um passe de Ônibus. Esse será o seu fim; depender de esmola . Nisso cheguei na chácara e havia uma ligação pra mim. Perguntei quem era. Disseram que já tinham ligado umas três vezes e que iam me retornar as 23h. Fiquei aguardando. No horário e, em ponto, tocou o telefone. Era o Alemão (ex-volante da Seleção Brasileira), que me disse: Artur, não desliga, por favor, não desliga! Perguntei: como você me achou? Ele disse: Artur eu mandei uma fita VHS de um jogo seu para um clube da Holanda para mostrar o Élson jogando (como naquela época não tinha como editar as jogadas, foi o jogo todo), e eles assistiram o jogo e o dono do clube disse que gostou de mais de você e que era pra mim te achar nem que fosse no inferno, pois ele quer você no clube. Foi quando contratei dois detetives para te acharem e eles entraram e contato com sua mãe no Rio Grande do Sul. Ela disse que você estava numa chácara chamada Projeto Vida, em Maringá-PR. AÌ te encontrei, se você quiser voltar a jogar, mando a passagem e você vem pra São Paulo, treina aqui uns 15 dias e eu mando você pra lá com um contrato assinado. Então falei pra ele; Amanhã te dou a resposta. Fazia três meses já que eu estava orando pra Jesus salvar minha mãe, porque ela também estava envolvida com o candomblé e a macumbaria e como há muito tempo não falava com ela, liguei pra saber como eles haviam entrado em contato. Foi quando minha mãe disse que eles lhe abordaram e fizeram um monte de perguntas ao meu respeito. Terminada a conversa sobre os detetives, minha mãe disse: Filho, tenho uma novidade pra te contar, fui numa igreja evangélica, aceitei a Jesus, fiz uma limpeza na minha casa e hoje sou crente em Jesus .î Com esse testemunho, entendi que deveria ficar firme no propósito que Deus tinha pra minha vida, mesmo diante das dificuldades que estava enfrentando. No outro dia o Alemão me ligou e mais uma vez rejeitei a proposta.
A segunda vez foi quando eu já estava morando em Apucarana-PR, pois quando cheguei aqui, mais uma vez tive que depender da ajuda e assistência da igreja. O Pr. Hermes Feitosa, hoje pastor presidente em Guaraituba (Colombo-PR), alugou uma casa pra mim, uma casa de madeira, velha e com muitos problemas, mas como eu dependia naquele momento não pude reclamar. Um dia fui na igreja e o pastor me deu uma cesta básica e, pra quem por várias vezes havia se alimentado em grandes restaurantes e hotéis e diante do orgulho que tinha era, um vexame. A única coisa que eu não esperava naquele momento era encontrar algum amigo pra saber aonde eu estava levando aquilo. Mas a primeira esquina que virei da igreja encontrei um amigo daqueles que em todo lugar tem, aqueles serrista, que gosta de tirar uma casquinha. Ao me ver logo gritou: E aí Artur, onde você vai com essa cesta?  Respondi: O pastor pediu pra mim levar pra uma família carente, e estou indo..." Ele disse: Deixa que eu te ajudo. Dispensei a ajuda. Ele não ouviu e continuou me seguindo e, quando cheguei em frente da minha casa, falei: Irmão, essa cesta é pra mim. Ele olhou e disse: Pois é, você parou de jogar futebol pra se escorar na igreja, isso um dia acaba. Quando ele falou isso, aquilo entrou como uma flecha no meu coração. Fiquei muito triste, mas não o respondi, entrei na minha casa, fechei a porta, coloquei a cesta no chão, ajoelhei do lado e disse: Meu Deus, essa é a primeira e a ultima cesta que eu pego da igreja, nem que seja pra morrer de fome, mas jamais vou pedir alguma coisa pra igreja. E naquele momento chorei muito e pedi pra que Deus abrisse uma porta de emprego para que eu não passasse mais por aquele tipo de humilhação. Na segunda-feira eu comecei a trabalhar numa fábrica de bonés, pra fazer o pior serviço, limpar tela com tinner e solvente. Era Deus quebrando todo o orgulho que havia em meu coração. Trabalhei 20 dias, porem só ia receber quando completasse 30 dias de serviço. A cesta básica foi terminando e, uma semana antes de eu receber como não tinha mais o que fazer pra comer durante o dia na hora do almoção, saia do serviço para não sentir o cheiro de comida que meus amigos esquentavam. Ia pra de baixo de uma arvore no Parque das Aves e ficava lendo a Bíblia. Na noite de segunda a quinta-feira eu comia só arroz puro com alho e óleo. Na sexta-feira cheguei em casa, como não havia me alimentado o dia todo, fui fazer o meu arroz puro novamente, quando vi, o arroz que tinha sobrado estava caído no chão e cheio de pó, pensei: E agora? Como vou passar essa noite? Fui num culto em uma casa de um irmão. Depois do culto, fomos, eu e um amigo (irmão Antonio, senhor de uns 60 anos) orar em uma chácara a partir das 23h. Naquela noite quase nem consegui orar, só chorei. Ao voltar, lá pelas 3h da manhã já estava fraco e com dor de cabeça de fome e meu amigo nunca tinha me convidado pra passar na volta e chegar na casa dele, mas nessa ocasião ele disse: Artur; vamos passar la em casa e tomar uma água .Pensei, vou lá, tomo uma água, me fortaleço um pouco e chego em casa, amanha é outro dia e Deus prover·. Quando cheguei na casa dele, ao abrir a porta vi uma banquete em cima da mesa com um bilhete escrito: ARTUR, COMA,...SIMPLES MAS DE TODO O CORAÇÃO. A esposa dele havia preparado tudo, e ele perguntou: Artur, você quer jantar? Acho que minha esposa preparou isso pra você .Na hora mandei chama-la, contei o que estava acontecendo comigo e ela, em lágrimas, disse: Artur, enquanto vocês estavam descendo na chácara, Deus me despertou e mandou eu fazer isso pra você, mas eu jamais imaginei que você estava passando por isso. Deus é fiel, nos como cristão passamos por lutas e dificuldades como qualquer outra pessoa, a diferença é que Deus cuida em seus mínimos detalhes da nossa vida. No outro dia, chegou um caminhão de compras na minha casa. Até hoje não sei quem enviou. A noite fui num congresso de jovens aqui na nossa igreja sede e tinha um pastor de Curitiba pregando, Pr Daniel Pedroso. Ao final da mensagem ele me chamou pra frente, diante de uma multidão com mais de 1000 pessoas e disse:  Jovem, Deus manda eu te dizer: Você foi provado e aprovado por Deus, a partir de hoje, por você não ter murmurado e não ter reclamado em meio as provações que Eu te enviei, vou mudar as tuas vestes, a tua alimentação, vou preparar um esposa, uma serva de Deus pra você, vou te dar uma casa pra morar, um carro pra você andar, e vou te levantar um grande pregador do evangelho nessa geração, e todos saberão que Eu Sou contigo, assim diz o Senhor! A partir daquele dia tudo isso tem se cumprido em minha vida. A Ele seja a honra a gloria e o louvor para todo o sempre. Amém.
Optaste pela linha evangélica; Por qual razão?
Muitas pessoas confundem a igreja verdadeira com uma denominação ou mesmo com um templo religioso no caso da igreja evangélica, católica, ou qualquer outro dogma ou rito religioso. Mas a igreja verdadeira não é um prédio nem uma denominação. A igreja verdadeira é o povo escolhido por Deus, chamado por Deus, remido por Deus, selado por Deus, procedente de todos os povos, raças, línguas e nação. A igreja verdadeira é composta de todos aqueles que foram lavados no sangue do Cordeiro. Essa igreja extrapola todas as fronteiras étnicas, culturais e denominações. Se você confessa Jesus Cristo como Senhor e Salvador de sua vida, então, você faz parte da igreja verdadeira. E acima de tudo, a igreja verdadeira ela prega a verdade a qualquer custo, independente de quantos membros ela tem, ou quantos ali ficaram, pois eles sabem que a única coisa que liberta o homem é a verdade. Por isso que Jo.8:32 diz: Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará, e foi isso que eu encontrei.
Como atingiu a condição de pastor?
Há um texto na bíblia em Jeremias 3.15 diz:“E vos darei pastores segundo o meu coração, que vos guiarão com conhecimento e discernimento”
A vocação para o pastorado é a mais sublime das todas as vocações. A vocação é quando todas as outras portas estão abertas, mas você só anseia entrar pela porta do ministério. São algemas invisíveis. Deus chama pessoas diferentes, em circunstâncias diferentes, em idades diferentes para o ministério. Chamou Jeremias no ventre da mãe. Chamou Isaías num momento de crise nacional. Chamou Pedro depois de casado. Chamou Paulo quando este perseguia a igreja.
O texto em apreço nos fala que Deus é quem dá pastores à igreja. O pastor não é um voluntário, mas um chamado. O seu ministério não é procurado, é recebido. Sua vocação não é terrena, é celestial. Sua motivação não está em vantagens humanas, mas em cumprir o propósito divino. E foi isso que aconteceu comigo, Deus me vocacionou para a sua obra num tempo em que todas as portas estavam abertas para mim no futebol.
Qual é o perfil de um pastor segundo o coração de Deus?
Importante ressaltar que existe Pastor e Mercenários. Um pastor segundo o coração de Deus é: Um pastor que tem consciência de que Deus o chamou não governar o povo com rigor, mas para cuidar do seu povo;
U m pastor que cuida da sua própria vida, antes de cuidar do povo de Deus. Ele prega a si mesmo, antes de pregar ao povo. Sua vida é o seu mais eloquente sermão.
Um pastor que é exemplo vida, piedade para o seu próprio rebanho. Ele nada considera a vida preciosa para si mesmo para velar pelo rebanho. Ele dá a sua vida pelo rebanho.
Um pastor que pastoreia TODO o rebanho: as ovelhas dóceis e as indóceis.
Um pastor que compreende que a igreja é de Deus e não dele. Deus nunca nos passou procuração para sermos donos do rebanho. A igreja é de Deus.
Um pastor que compreende que a igreja custou muito caro para Deus, o sangue do seu Filho. A igreja é a Noiva do Filho de Deus. A igreja é a Menina
dos Olhos de Deus. Ele tem zelo pela igreja.
Onde reside atualmente? Como é a cidade?
Apucarana-Pr. Apucarana é um município localizado no centro-norte do estado do Paraná, com uma população estimada, em 2016, em 131.571 habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, é a décima cidade mais populosa do Paraná. A cidade é também conhecida como "Cidade Alta" e reconhecida como capital nacional do boné.
O Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), apontou no mês de agosto do ano passado, a cidade de Apucarana como a segunda melhor cidade para se viver no Estado do Paraná, perdendo apenas para a cidade vizinha (Maringá-Pr) , e isso é um dos motivos que me faz permanecer aqui.
Como o ocupa o dia-a-dia?
Trabalho em tempo integral na igreja Assembleia de Deus, presidida pelo Pr. Daniel Sales Acioli, que também é o 1º secretario da CIADEP, de segunda a sexta-feira pela manha no administrativo da igreja. Na parte da tarde, preparo os meus estudos e faço visitas para os irmãos que necessitam. Na parte da noite, na segunda-feira procuro ficar com minha família, e nos demais dias envolvido nos trabalhos da igreja. Na terça-feira eu ministro no culto de oração e ensino, na quarta-feira faço aula de musica, na quinta-feira auxilio as mulheres no culto das irmãs, na sexta-feira dou discipulado para os novos convertidos, no sábado e domingo estou na igreja que sou pastor, exceto uma vez por mês que eu sou liberado e atendo as agendas que surgem fora da minha cidade .
Para encerrarmos: Você gostaria de deixar uma palavra de agradecimento às pessoas que foram e são importantes nessa tua trajetória?
Talvez não existam palavras suficientes e significativas que me permitam agradecer a todos que me ajudaram até aqui, e o que se torna até um perigo para mim nesse momento citar nomes e cair no erro de esquecer alguém. Mas foram varias pessoas importantes como no caso do Aender Naves Mesquita, que jogou comigo no Ituano-SP, que me introduziu ao evangelho. O Pr Celso Santos da igreja Batista Renovada de Maringá, que Deus o usou de uma maneira extraordinário e me deu apoio no inicio. Pr. João Batista Santos, que é pastor hoje em Campina Grande do Sul, que ao chegar em Apucarana me acolheu em sua casa. Pr. Hermes Feitosa, pastor presidente hoje em Gauraituba-Colombo, que na época morava na Vila Reis e que investiu muito no meu chamado. Ao Gilmar Gildo e sua família, dono da Loja Filadélfia que me deu a oportunidade de trabalhar com ele em sua loja, onde através dela conquistei muitas coisas que tenho hoje. Ao pastor Daniel Sales Acioli e sua esposa irmã Vanda, presidente da igreja Assembleia de Deus em Apucarana, que realizou a minha cerimonia de casamento, me consagrou ao Santo Ministério a Presbítero, depois a Evangelista e no ano passado a Pastor. A toda a diretoria e ministério do campo de Apucarana que ao longo desses 15 anos tem investido no meu chamado. A toda igreja aonde fui pastor pela primeira vez no Jd. Interlagos que teve muita paciência comigo devido a minha falta de experiência, aonde me acolheu e sempre me ajudou em todos os momentos. A igreja do Jd. Independência aonde sou o atual pastor responsável que esta sempre orando por mim e que abraçou esse grande desafio.
E com relação a minha família, a minha mãe, que sempre foi uma guerreira, uma mulher exemplar, que mesmo sem estudo e discriminada por varias vezes, deixa um legado em minha vida, que levarei ate o fim dela.
Aos meus irmãos que mesmo longe sempre estiveram torcendo por mim, em especial a minha irmã Franciele Baumart, que mesmo órfão aos dois anos de idade, se superou e deu a volta por cima, e hoje é um orgulho pra todos nós.
A minha sogra e meu sogro, que quando nos conhecemos, me acolheram como um filho, mesmo eu estando em terra estranha e sem nenhum parente aqui.
A minha esposa Angélica Escobar, que até hoje somam seus 13 anos que estou ao seu lado e a impressão que tenho é que a cada ano se torna mais especial, dividir a minha vida com ela. Sei que não é fácil conduzir um casamento, as dificuldades existem e não podemos negar, mas é certo também que com paciência, carinho, e muito amor, juntos conseguimos pela graça de Deus até hoje superar todos os obstáculos com muita alegria.
Aos meus filhos, Isadora e Davi Escobar, que são uns dos maiores presentes que recebi do senhor.
Enfim, a todos que me ajudaram caso eu tenha esquecido de alguém, me perdoa e meu muito obrigado, pois a Deus seja toda a honra e toda a gloria. Certo é que até aqui nos ajudou o Senhor.

Galeria de Imagens