Carregando...

Alerta!

logo Mulher morta por atropelamento em Arapongas foi sepultada em Lerroville - Notícias - AN Notícias Mulher morta por atropelamento em Arapongas foi sepultada em Lerroville - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 22 de Março de 2019

SAIBA MAIS

Dia Mundial da Água - Dia de Santa Léia -
08/03/2019 11h10

Mulher morta por atropelamento em Arapongas foi sepultada em LerrovilleVanessa foi atingida quando saía da Paróquia São Vicente Palotti com um amigo e o namorado dela

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto
A dona de casa Vanessa do Prado Alves Machado, 33 anos, que teve morte encefálica após ser atropelada por uma Saveiro branca na madrugada do último domingo (3) em Arapongas, foi enterrada nesta sexta, às 17h, no cemitério do distrito de Lerroville, zona rural de Londrina, onde mora boa parte da família. O motorista responsável pelo acidente fugiu sem prestar socorro e segue sendo procurado pela Polícia Civil. O delegado Ricardo Jorge informou que, com a confirmação da morte, irá indiciar o condutor por homicídio com dolo eventual, quando se assume o risco de matar.

Vanessa foi atingida quando saía da Paróquia São Vicente Palotti com um amigo e o namorado dela, Daniel Machado. Ele prestou depoimento na delegacia e assegurou que o suspeito avançou nos pedestres, o que ajudou a polícia a alterar a ideia no indiciamento. Inicialmente, ele poderia responder por lesão corporal de natureza gravíssima na direção de veículo automotor e omissão de socorro. O delegado não descartou pedir à Justiça a prisão do rapaz, mas preferiu economizar nos detalhes dessa possível solicitação.

Em nota encaminhada à imprensa, Machado escreveu: "A Vanessa salvou minha vida de várias formas, inclusive fisicamente nesse acidente. Agora poderá ajudar ainda mais pessoas com a doação de órgãos. Que ela seja um exemplo de vida, amor e santidade". Conforme a Organização de Procura de Órgãos de Londrina, apenas os rins da vítima puderam ser doados. As córneas não passaram pelo mesmo processo porque Vanessa havia feito um procedimento de maquiagem definitiva, o que poderia inviabilizar o transplante.

A vítima ficou internada no Hospital João de Freitas. Além do traumatismo craniano, ela teve contusões no pulmão, fratura no fêmur e no pulso.
Fonte: AN Notícias com Folha de Londrina

Galeria de Imagens