Carregando...

Alerta!

logo Moradores da área do acidente não sabem quem é o responsável pelo jato - Notícias - AN Notícias Moradores da área do acidente não sabem quem é o responsável pelo jato - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 15 de Dezembro de 2018

SAIBA MAIS

Dia do Esperanto - Dia de São Mesmim - Dia do Jardineiro - Dia do Amigo Secreto e Dia do Jornaleiro -
22/08/2014 09h34

Moradores da área do acidente não sabem quem é o responsável pelo jatoDono de academia atingida calcula prejuízo de R$ 1,5 milhão

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

Mais de uma semana depois do acidente que matou o candidato à presidência pelo PSB, Eduardo Campos, e outras seis pessoas, ainda não se sabe quem é o responsável pelo avião. E é uma informação fundamental para os moradores da área do desastre.

Até agora 50 boletins de ocorrência foram registrados na delegacia de Santos por danos materiais. Só o dono da academia que foi atingida calcula o prejuízo em R$ 1,5 milhão.

“Dá para recuperar, dá para recuperar. Mas só que o valor disso é muito grande.”, afirma o dono da academia Benedito Juarez Camara.  

Pelo Código Brasileiro de Aviação, a responsabilidade pelos danos é de quem tem a posse da aeronave. E aí começa a confusão. A empresa AF Andrade Empreendimentos e Participações Ltda, de Ribeirão Preto, havia comprado o avião por um arrendamento operacional, que é um leasing, uma espécie de financiamento, como mostra um registro da aeronave na Anac.

Para a Anac, o avião continuava sendo da AF Andrade

Desde maio, o avião estava sendo usado na campanha da Eduardo Campos. Depois do acidente, a empresa AF Andrade enviou para a Anac um documento, informando que tinha repassado o avião para João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho, em maio deste ano. O mesmo documento explica que duas empresas se apresentaram para assumir o financiamento junto à Cessna, a fabricante do avião: a BR Par Participações e a Bandeirantes Pneus, de Apolo Santana Vieira.

Nesta quinta-feira (21) a repórter Beatriz Castro esteve na sede da Bandeirantes Pneus, mas ninguém quis gravar entrevista.

Em nota, a empresa disse que teve interesse na compra da aeronave, mas a operação não se realizou. A repórter procurou também João Carlos Lyra de Mello Pessoa, que mora em um prédio à beira mar, em uma das áreas mais nobres do Recife.

JN: O que a esposa dele mandou dizer para gente?
Porteiro: Que ele não se encontra.

Advogado da AF Andrade afirma que vai provar que aeronave tinha novos donos

Até a queda do avião o processo de transferência do leasing ainda não havia terminado. Por isso, para a Anac, o avião continuava sendo da AF Andrade. O advogado da empresa disse que vai provar, nos inquéritos, que a aeronave já tinha novos donos.

“O que causa estranheza é que ainda não pediram documentos. Eu já disponibilizei esses documentos, já entrei em contato com a Polícia Federal no inquérito que foi instaurado e estou a disposição das autoridades para entregar os documentos”, afirma Celso Vilardi, advogado da AF Andrade Empreendimentos.

Fonte: G1