Carregando...

Alerta!

logo Um paranaense na lista dos jatinhos do BNDES - Notícias - AN Notícias Um paranaense na lista dos jatinhos do BNDES - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 10 de Dezembro de 2019

SAIBA MAIS

Dia do Palhaço - Dia da Declaração Mundial dos Direitos Humanos - Dia dos Povos Indígenas e Dia de São Melquíades -
20/08/2019 02h54

Um paranaense na lista dos jatinhos do BNDESComo parte do compromisso de revelar o conteúdo de sua “caixa preta”, determinado por Jair Bolsonaro, o BNDES divulgou na noite desta segunda-feira uma lista de 120 empresas que compraram jatinhos financiados

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

Como parte do compromisso de revelar o conteúdo de sua “caixa preta”, determinado por Jair Bolsonaro, o BNDES divulgou na noite desta segunda-feira uma lista de 120 empresas que compraram jatinhos financiados a juros baixíssimos e prazos longos, entre 2009 e 2013, nos governos Lula e Dilma Roussef. No total, o banco concedeu quase R$ 2 bilhões em empréstimos generosos para financiar jatinhos durante o período.

Há nomes nacionalmente conhecidos na relação – coincidentemente políticos ou celebridades que, nos últimos tempos, têm desgostado o presidente, casos do governador de São Paulo, João Doria, aspirante a figurar como seu adversário na eleição de 2022, e o apresentador global Luciano Huck, que nos últimos dias andou fazendo críticas ao governo.

Uma passada d’olhos na lista foi capaz de identificar pelo menos um paranaense entre os adquirentes de aeronaves financiadas pelo banco de desenvolvimento. Trata-se do escritório de Pedro Henrique Xavier Advogados Associados, com sede à rua Eurípides Garcez do Nascimento, no Ahú, situada bem ao lado da sede do Gaeco.

A compra ocorreu em 2013 e o jato custou R$ 10.053.000,00, para pagamento em 100 prestações a juros de 3,5% ao ano. Da relação não consta o modelo do avião adquirido.

Foi uma aquisição modesta, se comparado ao valor pago por João Doria, proprietário de um jato executivo com autonomia para cruzar oceanos à velocidade de 1.000 km/h, que custou R$ 44 milhões. O jato da JBS, dos irmãos Joesley e Wesley Batista, custou R$ 39 milhões. E o do dono das Lojas Riachuelo, Flávio Rocha – que em 2018 andou ensaiando uma candidatura a presidente -, ficou na casa dos R$ 55 milhões.

 

Fonte: AN Notícias com ContraPonto