Carregando...

Alerta!

logo Cachorro é atacado a pauladas em supermercado e morre em SP  - Notícias - AN Notícias Cachorro é atacado a pauladas em supermercado e morre em SP - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 09 de Dezembro de 2019

SAIBA MAIS

Dia de Santa Leocádia - Aniversário de Maceió - Dia da Criança Defeituosa - Dia do Fonoaudiólogo e Dia do Cronista -
04/12/2018 12h07

Cachorro é atacado a pauladas em supermercado e morre em SP Segundo testemunhas, segurança terceirizado teria tentado envenenar o animal e depois o golpeado com uma vassoura diversas vezes

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

Um funcionário terceirizado de uma rede de supermercados se envolveu numa polêmica após ser suspeito de matar um cachorro a pauladas, na última quarta-feira (28), em Osasco, na região metropolitana de São Paulo.

Segundo testemunhas, o segurança terceirizado teria envenenado o animal, mas como ele não veio a óbito imediatamente, o funcionário pegou uma vassoura e golpeou o cachorro várias vezes. A agressão ocorreu dentro do estabelecimento.

O Departamento de Fauna e Bem Estar Animal, do município de Osasco, foi chamado para prestar atendimento ao cachorro ferido e sangrando, que foi encaminhado ao departamento para atendimento emergencial. De acordo com o departamento, o animal, que foi resgatado meia hora após o chamado, chegou consciente no local, mas nao resistiu aos ferimentos e morreu.
 

Em nota, o Carrefour, supermercado em que ocorreu o fato, disse que repudia qualquer tipo de maus-tratos contra animais e que o cachorro circulava pelo estacionamento há dias, incomodando os clientes. O supermercado reconheceu ainda que o funcionário, ao tentar afastá-lo, feriu as patas do animal. De acordo com a rede, o Centro de Zoonoses de Osasco foi acionado e o animal faleceu em decorrência do uso de um enforcador, usado pelos profissionais.

Em um complemento da nota posterior,  a rede de supermercados afirmou ainda que "o Carrefour reconhece que um grave problema ocorreu em sua loja de Osasco" e que "a empresa não vai se eximir de sua responsabilidade".
 

Questionado sobre a acusação, o departamento de zoonoses afirmou que somente o inquérito policial, instaurado quatro dias após o incidente (quando receberam informações que se tratava de um caso de maus-tratos), poderá indicar as causas da morte e a quem cabe a responsabilidade. 

O caso foi levado à Delegacia de Polícia de Investigações Sobre o Meio Ambiente e Setor de Produtos Controlados Seccional de Osasco. Seis testemunhas vão prestar depoimento e um suspeito já foi identificado.

 

 

Fonte: AN Notícias com R7

Galeria de Imagens