Carregando...

Alerta!

logo Homem arranca patas de cachorro por se incomodar com latidos - Notícias - AN Notícias Homem arranca patas de cachorro por se incomodar com latidos - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 21 de Abril de 2018

SAIBA MAIS

Dia de Tiradentes - Dia do Pedagogo - Dia Nacional da Paz do Trânsito - Dia do Metalúrgico - Dia das Polícias -
02/06/2017 01h58

Homem arranca patas de cachorro por se incomodar com latidosNa delegacia homem confessou o crime e ainda relatou ter matado outro cachorro a pauladas pelo mesmo motivo

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

Incomodado com os latidos de um cachorro, que ficava perto da casa onde mora, um homem cortou as duas patas dianteiras do animal e o deixou sangrar até a morte, na cidade de Iporá, em Goiás. O crime aconteceu em março, mas a polícia só conseguiu localizar o autor esta semana

O delegado responsável pela investigação, Ramon Queiroz Rodrigues, contou que o cachorro foi encontrado já sem vida na sede da ONG Associação Vida, que resgata e abriga animais de rua, em 27 de março. Com o auxílio de imagens de câmeras de segurança, a Polícia Civil goiana conseguiu identificar o autor do crime: Sandro Pereira de Melo, que mora ao lado da instituição.

Levado para a delegacia, Sandro confessou ter mutilado o cachorro. Em depoimento, contou ter dado uma paulada no animal, que o deixou desacordado. Em seguida, decepou as duas patas dianteiras com um podão (ferramenta usada para cortar madeira) e o arremessou, ainda com vida, na sede da ONG, onde o animal agonizou até a morte. A justificativa dada pelo acusado foi que os latidos do cão o incomodavam muito.

Segundo o delegado, Sandro não demonstrou nenhum arrependimento durante seu depoimento. Mais do que isso, ele relatou ter matado outro cachorro — este a pauladas — também por conta do barulho. Ainda de acordo com Ramon Queiroz, o crime chocou a pequena cidade, que tem pouco mais de 30 mil habitantes.

"Enquanto tem uma ONG que se propõe a cuidar dos animais, tem um vizinho fazendo exatamente o contrário, matando e ainda jogando na própria ONG", lamentou.

Após prestar depoimento, Sandro foi liberado e vai responder em liberdade por mutilação e maus tratos a animais, previsto na Lei Ambiental. A pena para esse crime varia de três meses a um ano de prisão.

As informações são do Correio Braziliense.

Fonte: AN Notícias com Correio Braziliense

Galeria de Imagens