Carregando...

Alerta!

logo Ministério põe Paraná em alerta para a invasão de gafanhotos - Notícias - AN Notícias Ministério põe Paraná em alerta para a invasão de gafanhotos - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 09 de Julho de 2020

SAIBA MAIS

Dia da Revolução Constitucionalista - Dia do Protético -
24/06/2020 11h40

Ministério põe Paraná em alerta para a invasão de gafanhotosSegundo o ministério, contudo, o monitoramento climático realizado por especialistas argentinos indica que a nuvem gafanhotos da espécie Schistocerca cancellata se encontra próxima à fronteira com o Brasil, mas com maior probabilidade de que deverá seguir

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto
O Ministério da Agricultura emitiu alerta para as Superintendências Federais de Agricultura no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul para que sejam tomadas as medidas necessárias de monitoramento e orientação aos agricultores da região, em especial no RS, para controle da praga caso esta nuvem ingresse em território brasileiro.

Segundo o ministério, contudo, o monitoramento climático realizado por especialistas argentinos indica que a nuvem gafanhotos da espécie Schistocerca cancellata se encontra próxima à fronteira com o Brasil, mas com maior probabilidade de que deverá seguir na direção do Uruguai.

Autoridades fitossanitárias brasileiras estão em contato com os governos argentino, boliviano e paraguaio por meio do Grupo Técnico de Gafanhotos do Comitê de Sanidade Vegetal, o que tem permitido um acompanhamento do assunto em tempo real, com o objetivo de minimizar os efeitos de um eventual surto da praga no Brasil.

Esta praga está presente no Brasil desde o século 19 e causou grandes perdas às lavouras de arroz na região sul do País nas décadas de 1930 e 1940. Desde então, tem permanecido na sua fase “isolada” que não causa danos às lavouras, pois não forma as chamadas “nuvens de gafanhotos”. Recentemente, voltou a causar danos à agricultura na América do Sul, em sua fase gregária (formação de nuvens).

Os fatores que levaram ao ressurgimento agressivo da praga na região estão sendo ainda avaliados pelos especialistas e podem estar relacionados a uma conjunção de fatores climáticos, como temperatura, índice pluviométrico e dinâmica dos ventos.

Fonte: AN Notícias com ContraPonto

Galeria de Imagens