Carregando...

Alerta!

logo Bolsonaro critica governadores do Nordeste: ‘Querem fazer disso uma Cuba?’ - Notícias - AN Notícias Bolsonaro critica governadores do Nordeste: ‘Querem fazer disso uma Cuba?’ - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 23 de Agosto de 2019

SAIBA MAIS

Dia da Injustiça - Dia do Aviador Naval e Dia do Patrulheiro Policial -
06/08/2019 02h30

Bolsonaro critica governadores do Nordeste: ‘Querem fazer disso uma Cuba?’Em evento na Bahia, governada pelo PT, presidente diz que não tem preconceito com nordestinos, mas apenas ‘com governador ladrão’ e a ‘esquerdalha canalha’

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta segunda-feira, 5, que os governadores do Nordeste querem transformar a região “em uma Cuba” e negou que tenha agido com preconceito contra os nordestinos. As declarações foram dadas em uma entrevista coletiva, após participação na inauguração da primeira etapa de uma usina solar flutuante, instalada no reservatório da cidade de Sobradinho, na Bahia, estado que é governado por Rui Costa (PT).

No Nordeste, sete dos nove governadores são filiados a partidos de esquerda. O PT governa, além da Bahia, o Ceará (Camilo Santana), o Piauí (Wellington Dias) e o Rio Grande do Norte (Fátima Bezerra). Os outros são Maranhão (Flávio Dino, do PCdoB), Pernambuco (Paulo Câmara, do PSB) e Paraíba (João Azevêdo, do PSB). Renan Filho (PMDB), em Alagoas, e Belisário Chagas (PSD), em Sergipe, também têm eventualmente posturas críticas a Bolsonaro. Juntos, eles lançaram na segunda-feira 29 o Consórcio Nordeste, que tem o objetivo de articular políticas e reivindicações comuns à região. Segundo o presidente, os governadores da região pensam que o país é “o Nordeste e o resto”. “Querem fazer disso aqui uma Cuba?”, questionou.

No dia 19 de julho, Bolsonaro deu início a sua primeira polêmica com os governadores da região. Durante café da manhã com jornalistas, o presidente conversava reservadamente com o ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil), mas o diálogo foi captado pelos microfones na sala: “Daqueles governadores ‘de paraíba’, o pior é o do Maranhão. Tem que ter nada com esse cara”, afirmou. Depois disse que não estava usando a forma pejorativa (“paraíbas”) para falar dos nordestinos, mas que se referia aos governadores da Paraíba e do Maranhão.

Nesta segunda-feira, ele disse que não pode deixar que Azevêdo e Dino “façam politicalha” com sua imagem. Segundo o presidente, os representantes dos dois estados conseguem recursos locais com o governo federal, mas “descem a borduna” em críticas. “Não vou negar nada para os estados, mas se eles (governadores) quiserem que realmente isso tudo seja atendido, eles vão ter que falar que estão trabalhando com o presidente Jair Bolsonaro. Caso contrário, eu não vou ter conversa com eles e vamos divulgar obras junto às prefeituras”, afirmou.

O presidente também disse que o Nordeste tem recebido “recursos abundantes” e que não tem ido à região para “fazer média”. “Não existe essa história de preconceito. Agora, eu tenho preconceito é com governador ladrão que não faz nada para o seu estado”, rebateu.
 

Questionado sobre seu relacionamento com os governadores nordestinos, Bolsonaro disse que se relaciona com o “povo” do Nordeste. Na cerimônia de inauguração da primeira etapa da usina solar, em Sobradinho, o governador da Bahia, Rui Costa (PT) não esteve presente. O petista também não compareceu à inauguração do aeroporto de Vitória da Conquista (BA), realizada no último dia 23.

Bolsonaro, no entanto, minimizou a ausência de Costa. “Ninguém proibiu o governador de vir aqui. Na vez passada, quando estive em Vitória da Conquista, ele determinou, inclusive, via comandante da Polícia Militar, que a polícia não participasse da nossa segurança, então, quem tem algum preconceito é ele”, disse.

Politicamente correto

Ao afirmar que tem viagem marcada para Campina Grande (PB), o presidente afirmou que não pode mais “contar uma piada”. “Não posso mais contar piada de cabeçudo, de goiano, de gaúcho, de cearense cabra da peste. Não pode mais contar piada, não pode ter uma liberdade mais neste país. Não pode brincar mais, tudo é politicamente correto”, afirmou.

Ele também criticou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de enquadrar a homofobia como crime de racismo e afirmou que a “esquerdalha canalha” está dividindo o país. “Eu estou em uma pelada, nós dois. Um entra com uma voadora no pescoço do outro. O que acontece? O outro fala assim ‘seu maricón’. Pronto, três anos de cadeia. Não posso falar ‘maricón’ mais. Onde nós vamos chegar? Nossa alegria de viver, um país maravilhoso como esse. Quem está nos dividindo? Essa esquerdalha canalha”.

 

Fonte: AN Notícias com Veja

Galeria de Imagens