Carregando...

Alerta!

logo Criticado por apoiadores, Bolsonaro nega ter recuado em confronto com STF - Notícias - AN Notícias Criticado por apoiadores, Bolsonaro nega ter recuado em confronto com STF - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 25 de Outubro de 2021

SAIBA MAIS

Dia da Democracia - Dia da Construção Civil - Dia das Missões - Dia da Saúde Dentária - Dia Nacional do Dentista -
10/09/2021 08h52

Criticado por apoiadores, Bolsonaro nega ter recuado em confronto com STF'não pode ir pro tudo ou nada'

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

Um dia depois de ter divulgado uma carta em que dizia nunca teve “a intenção de agredir quaisquer dos poderes”, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tentou hoje se defender das críticas de apoiadores, negando ter recuado de sua cruzada contra o Supremo Tribunal Federal (STF). Em meio a uma série de cobranças de aliados por causa da nota Bolsonaro disse nesta que não recuou de nada e que jamais cometeu um erro. "Ninguém está recuando. Não pode ir pro tudo ou nada. Arrumar o Brasil devagar. Vai arrumando", alegou.

Em conversa com aliados no Palácio do Alvorada, já conhecido como “cercadinho”, o presidente afirmou ainda que há cobranças para reações imediatas, "que vá lá e degole todo mundo", e defendeu mudanças graduais no Brasil. Bolsonaro está sendo questionado por apoiadores ter aliviado o discurso contra o ministro do STF, Alexandre de Moraes, ainda que provisoriamente, e ter pedido a desmobilização de manifestações de caminhoneiros que bloqueiam estradas. "Alguns querem que vá lá e degole todo mundo. Hoje em dia não existe país isolado, todo mundo está integrado ao mundo", disse o presidente.
 

Na terça-feira, em manifestação de apoiadores em São Paulo, Bolsonaro disse que não cumpriria mais decisões de Alexandre de Moraes. Além disso, em ato em Brasília no mesmo dia, cobrou do presidente do STF, Luiz Fux, que “enquadrasse” o ministro, caso contrário, “esse poder poderia sofrer o que não queremos”.

Depois que Fux reagiu afirmando que descumprir decisão judicial é crime de responsabilidade, e pode resultar na abertura de um processo de impeachment, Bolosonaro divulgou a carta, redigida com a ajuda do ex-presidente Michel Temer (MDB), afirmando que não teve "nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes" e atribui palavras "contudentes" ao "calor do momento".

Questionado por um apoiador se o "acordo" para aliviar os ataques inclui a soltura do deputado preso Daniel Silveira (PSL-RJ), o presidente disse que não pode entrar em detalhes sobre as conversas que levaram à elaboração da nota. "Tem coisas que não posso falar com você. Tem certas coisas que você confia ou não confia", disse o presidente. "Posso um dia errar. Até o momento não errei", completou.

 

Fonte: AN Notícias com Bem PR