Carregando...

Alerta!

logo Datafolha: Bolsonaro tem pior avaliação em início de mandato - Notícias - AN Notícias Datafolha: Bolsonaro tem pior avaliação em início de mandato - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 26 de Junho de 2019

SAIBA MAIS

Dia do Detetive Particular - Dia do Professor de Educação Física - Dia Internacional do Combate às Drogas -
07/04/2019 10h37

Datafolha: Bolsonaro tem pior avaliação em início de mandatoPesquisa mostra que 30% dos brasileiros consideram seu governo ruim ou péssimo

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) tem a pior avaliação de um presidente eleito após os três primeiros meses de mandato desde 1990, quando o país voltou a ter um presidente eleito pelo povo, segundo pesquisa do instituto Datafolha, publicada neste domingo, 7. De acordo com o levantamento, 30% dos brasileiros consideram seu governo ruim ou péssimo, porcentagem próxima aos 32% dos entrevistados que o consideram ótimo ou bom e 33%, regular — 4% não soube opinar.

Em 1990, Fernando Collor (à época no PRN) era reprovado por 19% dos brasileiros (36% achavam seu governo ótimo ou bom; 43% regular; 2% não soube responder). Fernando Henrique Cardoso (PSDB), que assumiu em 1995, também começou seu mandato com rejeição mais baixa (16% achavam seu governo ruim ou péssimo; 39% ótimo ou bom; 40% regular; 5% não sabia).

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) contava com 10% de avaliação ruim ou péssima no início de 2003 (43% achavam seu governo ótimo ou bom; 40% regular; 7% não soube responder). Sua sucessora, Dilma Rousseff também tinha baixo índice de reprovação no começo do mandato: 7% dos entrevistados rejeitavam seu governo enquanto 47% o consideravam ótimo ou bom (outros 34% achavam regular e 12% não soube responder).

O Datafolha entrevistou 2.086 com mais de 16 anos em 130 municípios do país entre os dias 2 e 3 de abril. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

De acordo com o instituto, antes da posse, 65% dos brasileiros esperavam que Bolsonaro fizesse um governo ótimo ou bom (17%, regular; e 12% ruim ou péssimo). Agora, a expectativa positiva caiu para 59%, enquanto a negativa subiu para 23% (a regular oscilou para 16%).

Fonte: AN Notícias com Veja

Galeria de Imagens