Carregando...

Alerta!

logo Novos senadores copiam a ‘velha política’ e gabinete vira cabide de empregos - Notícias - AN Notícias Novos senadores copiam a ‘velha política’ e gabinete vira cabide de empregos - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 22 de Julho de 2019

SAIBA MAIS

Início da Semana da Agricultura - Dia Nacional do Podólogo - Dia de Sta. Maria Madalena -
13/05/2019 03h19

Novos senadores copiam a ‘velha política’ e gabinete vira cabide de empregosA renovação do Senado Federal – dos 54 eleitos em 2018, 46 são novatos – não resultou em renúncia a práticas da “velha política”

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

A renovação do Senado Federal – dos 54 eleitos em 2018, 46 são novatos – não resultou em renúncia a práticas da “velha política”, como transformar os gabinetes em cabide de empregos. Entre os dez senadores que mais contrataram assessores neste mandato, seis são ‘novatos’. Apenas esses 10 contrataram 580 assessores, com gasto mensal de R$ 4,4 milhões. Isso projeta uma despesa anual de R$ 57 milhões – dinheiro suficiente para construir 2 mil casas populares.

Levantamento das maiores rendas entre esses assessores mostra que 18 recebem mais do que o salário dos senadores, com uma média R$ 37 mil. Três deles sofrem a regra do abate-teto para não ultrapassar o salário de ministro do Supremo Tribunal Federal (R$ 39,3 mil), que é o teto constitucional. São servidores efetivos do Senado lotados nos gabinetes. Cada senador tem direito a até quatro desses servidores.

LEIA TAMBÉM: A incrível história do senador sem partido que abriu mão dos privilégios do cargo

Entre os comissionados – de livre nomeação –, os dez maiores salários têm média de R$ 23,6 mil, com o teto de R$ 28 mil. Cada senador tem direito a 11 assessores com salários elevados, mais um motorista, mas ele pode subdividir esses cargos em dezenas de outros com salários a partir de R$ 2,2 mil. É o milagre da multiplicação dos cargos, que resulta no cabide de empregos, em Brasília e nos estados.

Campeões

O maior número de assessores está no gabinete do senador Izalci Lucas (PSDB-DF), senador estreante, mas que já tinha três mandatos de deputado federal. Ele contratou 78 assessores, com gasto mensal de R$ 527 mil – ou R$ 6,8 milhões ao ano. Todos os assessores estão lotados no seu gabinete no Senado. O escritório de apoio no centro de Brasília está fechado, em fase de montagem, embora o Senado já pague o aluguel há dois meses.

LEIA TAMBÉM: Aposentado ganha como presidente da República na fantástica fábrica de privilégios do Senado

Mas a maior despesa é feita por outro tucano: Roberto Rocha (PSDB-MA). Os seus 52 assessores custam R$ 558 mil por mês, ou R$ 7,2 milhões por ano. Outra novata que encheu o gabinete foi Renilde Bulhões (PROS-AL). São 38 em Brasília e 29 no estado, a um custo mensal de R$ 516 mil. O novato Lucas Barreto (PSD-AP) tem 60 assessores, com folha salarial de R$ 470 mil (veja a lista dos 10 maiores no final desse post).

“Graças a isso fui eleito”

Os menores salários são geralmente pagos a assessores que trabalham nos escritórios nos estados. Eles fazem o contato com as bases eleitorais dos senadores, levantando reivindicações de cada localidade. Muitas delas são atendidas pelas emendas dos parlamentares ao Orçamento da União. Em período eleitoral, esses assessores são praticamente cabos eleitorais dos senadores.

Nos 10 maiores gabinetes, 150 assessores recebem o menor salário. O maior número, 27 cargos AP-1, está no gabinete do senador Randolfe Rodriques (Rede-AP). Ele conta com 11 assessores em Brasília e 45 no Amapá. O senador novato Messias de Jesus (PRB-RR) tem 56 assessores, sendo 37 no estado. Vinte deles recebem o “piso salarial”. A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) preencheu 21 cargos AP-1, sendo 19 no escritório de apoio.

LEIA TAMBÉM: Aposentadoria especial: reforma assegura ‘direito adquirido’ da velha e da nova política

Questionados pelo blog, os senadores não explicaram qual a atividade desses servidores menos privilegiados. O único que fez um relato foi Izalci Lucas. Ele explicou, incialmente, que o gabinete precisa estar presente em todas as cidades – são 33 regiões administrativas, algumas delas com 600 mil habitantes, como Ceilândia.

Então, falou dos baixos salários. “Tem algumas lideranças de cidades que têm salário menor. Não é uma pessoa muito qualificada, mas tem penetração na comunidade. Na Estrutural (invasão urbana), tem um menino meu que ganha o mínimo. Não é um especialista, mas não é isso que espero dele. Como liderança, ele sabe o que está acontecendo na comunidade e traz para gente. Quem sabe o que é melhor para a Estrutural é quem vive lá. É graças a isso que fui eleito”.
 

Os gabinetes do Senado que mais gastam com salários         2           3 senador valor mensal (R$) gabinete em Brasília no estado total 4 Roberto Rocha (PSDB-MA) 557.979 46 6 52 5 Izalci Lucas (PSDB-DF) 527.087 78 0 78 6 Renilde Bulhões (PROS-AL) 516.584 38 29 67 7 Telmário Mota (PROS-RR) 496.850 16 36 52 8 Lucas Barreto (PSD-AP) 470.687 21 39 60 9 Nelsinho Trad (PSD-MS) 424.548 24 31 55 10 Randolfe Rodrigues (REDE-AP) 398.591 11 45 56 11 Elmano Férrer (PODE-PI) 354.592 23 31 54 12 Eliziane Gama (Cidadania-MA) 331.520 13 37 50 13 Messias de Jesus (PRB-RR) 320.267 19 37 56 14           15 Os assessores e servidores com os maiores salários         16           17 senador assessor comissionado salário (R$)     18 Lucas Barreto (PSD-AP) Eduardo Seabra da Costa 28.124     19 Nelsinho Trad (PSD-MS) Bárbara Pereira Martins 23.858     20 Nelsinho Trad (PSD-MS) Déborah Barbosa de Andrade 23.776     21 Eliziane Gama (Cidadania-MA) Pablo Pereira Munhoz 22.943     22 Elmano Férrer (PODE-PI) José Solon Braga Filho 22.943     23 Randolfe Rodrigues (REDE-AP) Charles Achcar Chelala 22.943     24 Roberto Rocha (PSDB-MA) Antônio Nobre Mendes 22.943     25 Roberto Rocha (PSDB-MA) Maria Fleury de Lima 22.943     26 Telmário Mota (PROS-RR) Carlos Chaves da Silva 22.943     27 Telmário Mota (PROS-RR) Cidiamara do Carmo Feitosa 22.943     28           29 senador servidor efetivo salário (R$)     30 Izalci Lucas (PSDB-DF) Luiz Antônio Monteiro* 41.223     31 Telmário Mota (PROS-RR) João Rio Mendes** 40.245     32 Renilde Bulhões (PROS-AL) Carlos Tomé Silva*** 39.516     33 Messias de Jesus (PRB-RR) Sílvio Oliveira Saraiva 39.128     34 Messias de Jesus (PRB-RR) Adriana Sobral de Vito 39.035     35 Renilde Bulhões (PROS-AL) Joberto Mattos de Santanna 38.759     36 Elmano Férrer (PODE-PI) Paulo Ferreira Nunes 38.309     37 Telmário Mota (PROS-RR) Sônia Maria Fényes 36.840     38 Izalci Lucas (PSDB-DF) Renzo Viggiano 36.769     39 Telmário Mota (PROS-RR) José Vilson da Silva 36.702  

 

Galeria de Imagens