Carregando...

Alerta!

logo Caso Daniel: Edison Brittes, suspeito de matar jogador, faz exame no IML de Curitiba - Notícias - AN Notícias Caso Daniel: Edison Brittes, suspeito de matar jogador, faz exame no IML de Curitiba - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 21 de Novembro de 2018

SAIBA MAIS

Dia Mundial da Televisão - Dia das Saudações - Dia da Homeopatia - Dia do Diabético - Dia de N.Sra de Apresentação -
08/11/2018 04h55

Caso Daniel: Edison Brittes, suspeito de matar jogador, faz exame no IML de CuritibaSeis suspeito de envolvimento na morte do atleta estão presos. Corpo de do jogador foi encontrado com sinais de tortura em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

Edison Brittes Júnior, de 38 anos, suspeito de matar o jogador Daniel passou por exame de corpo de delito, nesta quinta-feira (8), no Instituto Médico-Legal (IML) de Curitiba. O exame é de praxe – feito sempre que alguém é preso.

Edison Brittes, a esposa dele Cristiana Brittes, de 35 anos, a filha do casal Allana Brites, de 18 anos, e mais três homens estão presos suspeitos de envolvimento na morte do atleta.

O corpo de Daniel, de 24 anos, foi encontrado em um matagal, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, em 27 de outubro.

O Instituto Médico-Legal (IML) apontou, preliminarmente, a causa da morte como ferimento por arma branca. De acordo com a polícia, o corpo tinha sinais de tortura. O órgão genital do jogador foi cortado.


Edison Brittes está detido na delegacia de São José dos Pinhais. De acordo com o Departamento Penitenciário do Estado do Paraná (Depen-PR), até as 16h, não havia a previsão para que ele fosse transferido para o sistema penitenciário.

Ele confessou para a polícia ter matado o jogador. Ao ser interrogado, ele alegou ter cometido o crime porque Daniel tentou estuprar Cristiana. Allana e Cristiana Brittes também fizeram exame de corpo de delito nesta quinta-feira. Logo em seguida, elas, que também estavam na delegacia de São José dos Pinhais, foram levadas para a Penitenciária Feminina de Piraquara, também na Região de Curitiba.

Fonte: AN Notícias com G1