Carregando...

Alerta!

logo Donos de bares cancelam manifestação, mas reclamam: Donos de bares cancelam manifestação, mas reclamam: "Pagamos pelos erros de poucos" - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 20 de Outubro de 2020

SAIBA MAIS

Dia do Poeta - Dia do Arquivista - Dia Internacional do Tráfego Aéreo -
15/06/2020 11h13

Donos de bares cancelam manifestação, mas reclamam: "Pagamos pelos erros de poucos"Apesar disso, alguns empresários e lideranças do setor foram até o local, tentar um encontro com o prefeito Rafael Greca

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

Com a determinação da Justiça de proibir manifestações com aglomerações em Curitiba, o protesto marcado para as 14 horas desta segunda-feira (15) em frente ao prédio da Prefeitura de Curitiba, no Centro Cívico, foi cancelado. O ato reuniria empresários, trabalhadores e colaboradores de bares, restaurantes, casas noturnas, entre outros, contra o novo decreto que suspende ou restringe as atividades destes segmentos.

Apesar disso, alguns empresários e lideranças do setor foram até o local, tentar um encontro com o prefeito Rafael Greca. eles se posicionaram em frente á Prefeitura, mas no lado oposto da Avenida Cândido de Abreu. O prédio da Prefeitura está com esquema de segurança, com a Guarda Municipal e a Polícia Militar.

"Estamos seguindo as orientações da saúde desde março. Sempre nos propusémos a respeitar as determinações e protocolos da saúde. Mas, assusta esse decreto que veio assim diálogo com a categoria", disse o presidente a Associação de Bares e Casas Noturnas (Abrabar), Fábio Aguayo.

Ele reconhece que houve erros e excessos de parte da categoria, que abriu sem protocolos, provocou aglomerações, mas diz terem sido fatos pontuais. "Era só atacar e punir esses pontuais", opina. Para Aguayo, o decreto pune todos, inclusive quem vinha trabalhando de forma responsável, que segundo ele seriam a maioria.

Se o decreto for mantido, e a bandeira laranja mantida, o presidente da Abrabar prevê o fechamento em definitivo de muitos empreendimentos. "Era isso que faltava para fechar o caixão", falou, em relação à dificuldade que a maioria dos bares e casas noturnas passam no momento.

"Nós seguimos a lei. Veja só, a Justiça mandou que não houvesse manifestação e nós cancelamos", conclui Aguayo.

O sentimento é partilhado por um empresário do ramo de restaurantes, que também estava no local. "Nós cuprimos as determinações da saúde. Limitamos o atendimento para 50% da capacidade, com espaçamento, álcool em gel, luvas, máscaras. Sabemos dos riscos que essa pandemia trouxe. Nós somos responsáveis, mas estamos pagando pelos irresponsáveis", disse.

Pela manhã, antes da decisão da Justiça, um grupo ligado às academias e clubes esportivos fez um ato no local. Forma cerca de 100 pessoas em frente á Prefeitura.

Fonte: AN Notícias com Bem PR