Carregando...

Alerta!

logo Polícia Científica indica que jovem morta em Colombo pode não ter sido abusada sexualmente - Notícias - AN Notícias Polícia Científica indica que jovem morta em Colombo pode não ter sido abusada sexualmente - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 29 de Novembro de 2020

SAIBA MAIS

Dia do Café - Dia da Solidariedade dos Povos Palestinos - Dia Nacional da Albânia -
02/07/2013 10h26

Polícia Científica indica que jovem morta em Colombo pode não ter sido abusada sexualmenteO caso do assassinato da jovem Tayná em Colombo pode ter uma reviravolta

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

O caso do assassinato da jovem Tayná Adriane da Silva, de 14 anos, encontrada morta na última semana em Colombo, na região metropolitana de Curitiba, teve uma reviravolta. Segundo a perícia da Polícia Científica, a menina pode não ter sido abusada sexualmente, o que desmente a versão dada em depoimento pelos quatro suspeitos detidos. 

A conclusão foi tirada pela perita Jussara Joeckel, que investiga o caso, e afirmou que não haveria indícios do estupro. O laudo final da Polícia Científica sai até o final de semana. Dentre os exames feitos está o de DNA.

Adriano Batista, 23 anos, Paulo Henrique Camargo Cunha, 25, Sérgio Amorin da Silva Filho, 22, e Ezequiel Batista, 22, foram presos na última semana por policiais da delegacia de Alto Maracanã, em Colombo. De acordo com o delegado titular Silvan Pereira, que investigava o caso e segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil está em férias, três dos suspeitos confessaram o crime na sexta-feira. Apenas Ezequiel nega a autoria.

O crime - Segundo a versão dos suspeitos, Tayná teria sido capturada na noite de terça-feira (25). Eles levaram a garota para um matagal nos fundos do parque de diversão que trabalhavam e estupraram a jovem. No mesmo local, a menina teria sido estrangulada. No dia seguinte os jovens voltaram ao local para ocultar o corpo de vítima. Os suspeitos ainda teriam feito sexo com o cadáver.

O corpo da jovem foi encontrado dentro de uma vala alagada em um terreno que fica em frente a um parque de diversões onde os suspeitos trabalhavam. 

Fonte: Bem PR