Carregando...

Alerta!

logo ‘Ele vai pagar’, diz mãe de aluno que bateu em professora em SC - Notícias - AN Notícias ‘Ele vai pagar’, diz mãe de aluno que bateu em professora em SC - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 13 de Novembro de 2018

SAIBA MAIS

2º Dia Nacional da Família na Escola - Dia de Santo Estanislau e Dia da Cidade de Porto Alegre -
24/08/2017 11h39

‘Ele vai pagar’, diz mãe de aluno que bateu em professora em SCMulher, que trabalha como faxineira, conta que filho toma medicamentos para controle da raiva e que já passou dois dias internado após apanhar do pai

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto
O aluno de 15 anos que agrediu a professora Marcia Friggi em uma escola municipal de Indaial (SC), a 170 quilômetros de Florianópolis, conviveu durante a infância com um histórico de violência familiar. Quando era mais novo, o adolescente tentou impedir o pai de bater na mãe e levou um soco no rosto. Ele ficou dois dias internado devido aos ferimentos.   Quem conta é sua mãe, que trabalha na cidade como diarista – a família não será identificada nesse texto, conforme determina o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Ela e o filho viviam em uma cidade do interior do Mato Grosso. A mulher relata que o pai do adolescente era alcoólatra e a agredia com frequência. Há seis anos, relata, se mudaram para o Sul, buscando viver em paz.     O aluno de 15 anos que agrediu a professora Marcia Friggi em uma escola municipal de Indaial (SC), a 170 quilômetros de Florianópolis, conviveu durante a infância com um histórico de violência familiar. Quando era mais novo, o adolescente tentou impedir o pai de bater na mãe e levou um soco no rosto. Ele ficou dois dias internado devido aos ferimentos.   Quem conta é sua mãe, que trabalha na cidade como diarista – a família não será identificada nesse texto, conforme determina o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Ela e o filho viviam em uma cidade do interior do Mato Grosso. A mulher relata que o pai do adolescente era alcoólatra e a agredia com frequência. Há seis anos, relata, se mudaram para o Sul, buscando viver em paz.
Fonte: AN Notícias com Veja