Carregando...

Alerta!

logo Wagner Lopes não é mais técnico do Paraná Clube - Notícias - AN Notícias Wagner Lopes não é mais técnico do Paraná Clube - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 12 de Dezembro de 2018

SAIBA MAIS

Aniversário de Belo Horizonte - Dia da Bíblia - Dia de Nossa Senhora de Guadalupe Dia de Santa Dionísia -
16/02/2018 04h18

Wagner Lopes não é mais técnico do Paraná ClubeO executivo de futebol do Paraná, Rodrigo Pastana, concedeu entrevista coletiva nessa sexta-feira (dia 16) explicando a demissão

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

Wagner Lopes não é mais o técnico do Paraná Clube. Ele foi demitido pela diretoria do clube. O profissional estava no comando da equipe desde 10 de dezembro. Desde então, somou uma vitória, três empates e três derrotas.

O executivo de futebol do Paraná, Rodrigo Pastana, concedeu entrevista coletiva nessa sexta-feira (dia 16) explicando a demissão. Clique aqui para ler os argumentos do dirigente.

Wagner Lopes também trabalhou no Paraná em 2017, quando chegou no início do ano e ajudou a montar a estrutura do time que fechou 2017 com o acesso à primeira divisão. No ano passado, chegou a comandar a equipe em 22 jogos entre Primeira Liga, Copa do Brasil e Campeonato Paranaense, somando 12 vitórias, 7 empates e 3 derrotas. No Campeonato Paranaense avançou até às quartas-de-final, além de ter classificado o time para fases mais avançadas da Copa do Brasil e da Primeira Liga. Deixou o Paraná em maio de 2017, após receber proposta para receber R$ 450 mil mensais no Albirex Niigata, do Japão – ele ganhava R$ 25 mil no Paraná em 2017.

Em dezembro de 2017, o executivo de futebol do Paraná, Rodrigo Pastana, explicou a escolha do nome do técnico. “O Wagner tem o perfil que buscamos. Ele tem muita experiência na formatação de grupos, seguindo a filosofia do clube. Conhece a Série A e confiamos no seu comando, sempre com muito equilíbrio”, comentou.

O presidente do clube, Leonardo de Oliveira, também elogiou Wagner Lopes naquela ocasião. “O Wagner mostrou toda a sua competência no início do ano. Tínhamos um grupo em formação, que poucos confiavam. Ele deu personalidade ao time e fez a torcida abraçar o projeto. Só saiu por uma condição econômica, mas sempre deixei claro que as portas do Paraná sempre estariam abertas pra ele e pro Sandro”, completou o dirigente.

Fonte: AN Notícias com Bem PR

Galeria de Imagens