Carregando...

Alerta!

logo Baiano e Barusco sem tornozeleira, Cerveró circulando e Odebrecht em casa - Notícias - AN Notícias Baiano e Barusco sem tornozeleira, Cerveró circulando e Odebrecht em casa - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 17 de Dezembro de 2017

SAIBA MAIS

Dia de São Lázaro - Dia de São Franco de Sena -
27/11/2017 03h27

Baiano e Barusco sem tornozeleira, Cerveró circulando e Odebrecht em casaNo próximo dia 19 de dezembro, o empresário Marcelo Odebrecht também vai deixar a cela

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

Apontado como operador do PMDB, o lobista Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, deixou de ser monitorado pela Polícia Federal (PF). Ele passou um ano em regime fechado, mais um ano em prisão domiciliar e outro ano sem poder sair de casa à noite e aos fins de semana. Agora, sem a tornozeleira eletrônica, Fernando Baiano deverá prestar seis meses de serviços comunitários.

De acordo com a decisão do juiz Danilo Pereira Júnior, da 12ª Vara Federal de Curitiba, o período de regime aberto diferenciado com restrição domiciliar, mas sem a tornozeleira, deverá seguir por mais um ano.

Baiano mora no Rio de Janeiro e retirou a tornozeleira eletrônica no último dia 18. Ele foi condenado a mais de 25 anos de reclusão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro e fechou acordo de delação premiada em setembro de 2015. Ele foi apontado como operador financeiro do PMDB no esquema de corrupção na Petrobras.

Segundo o Ministério Público Federal, Baiano atuava negociando propinas e distribuindo as vantagens indevidas para políticos e agentes da estatal.

Quem também deve ficar sem tornozeleira é o delato Pedro Barusco. Depois de devolver R$ 267 milhões e ser o delator com a maior quantia devolvida até agora, o ex-gerente da Petrobras vai tirar a tornozeleira eletrônica no início de 2018 e, a partir de março, pode fazer viagens ao exterior.

Cerveró 

Outro delator que deve ser beneficiado pelo regime semiaberto diferenciado é o ex-diretor da área Internacional da Petrobras, Nestor Cerveró. Ele permanece com a tornozeleira eletrônica, mas a partir do dia 24 de dezembro, poderá sair de casa, entre às 10h e 20h, e se deslocar entre o Rio de Janeiro e Petrópolis, na região metropolitana, onde atualmente vive.

O regime deve durar mais um ano. Cerveró foi condenado a mais de 25 anos de reclusão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Ele permaneceu um ano e cinco meses em regime fechado e mais um ano e meio em prisão domiciliar com monitoramento.

Cerveró foi acusado de receber mais de R$ 54 milhões de reais em propina para intermediar a contratação de navios-sonda para a perfuração de águas profundas na África e no México.

Segundo a denúncia, o lobista Fernando Baiano representava Cerveró no esquema de corrupção.
 

Marcelo Odebrecht

No próximo dia 19 de dezembro, o empresário Marcelo Odebrecht também vai deixar a cela na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. Ele deverá cumprir a pena em casa com o uso de tornozeleira eletrônica. Odebrecht está detido desde junho de 2015.

O empresário herdeiro da maior empreiteira do País foi condenado a 19 anos de detenção pelos crimes de corrupção, associação criminosa e lavagem de dinheiro, mas vai cumprir 10 anos da pena e medidas cautelares.

No total, ele vai cumprir cinco anos no regime fechado, sendo metade na prisão e agora a outra metade em casa. Depois, Marcelo deve cumprir mais dois anos e meio em regime semiaberto e outros dois anos e meio em regime aberto.


 

Fonte: AN Notícias com PR UOL