Carregando...

Alerta!

logo Justiça proíbe Boca Aberta de frequentar Câmara Municipal de Londrina - Notícias - AN Notícias Justiça proíbe Boca Aberta de frequentar Câmara Municipal de Londrina - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 10 de Dezembro de 2018

SAIBA MAIS

Dia do Palhaço - Dia da Declaração Mundial dos Direitos Humanos - Dia dos Povos Indígenas e Dia de São Melquíades -
26/10/2017 20h57

Justiça proíbe Boca Aberta de frequentar Câmara Municipal de LondrinaO magistrado impôs medidas restritivas de 500 metros "para preservar a integridade física" de Jamil Janene, Mário Takahashi e Rony Alves

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto
O juiz da 5ª Vara Criminal de Londrina, Paulo César Roldão, ordenou que o ex-vereador Emerson Petriv, conhecido como Boca Aberta, não frequente os mesmos lugares que os vereadores Rony Alves (PTB), Jamil Janene (PP) e Mário Takahashi (PV). Com o despacho, na prática, o ex-vereador fica impedido de frequentar a Câmara Municipal de Londrina (CML). Na mesma decisão, o magistrado também impôs medidas restritivas de 500 metros "para preservar a integridade física dos requerentes". Boca Aberta ainda não poderá manter contato com os parlamentares por qualquer meio de comunicação.


Na semana passada, o vereador cassado por quebra de decoro se envolveu em uma confusão com Takahashi, que concedia uma entrevista para uma emissora de TV local. Ao interromper a fala do presidente da Câmara, ele teria feito o sinal de uma arma com os dedos. Foi então que Takahashi, sob alegação de ameaça, acionou os seguranças do Legislativo. Boca Aberta correu para o estacionamento e fugiu, deixando o prédio da Casa.

Na última terça-feira (24), apoiadores do ex-vereador marcaram um protesto em frente à Câmara, mas a manifestação foi cancelada pelo próprio Boca Aberta, que criticou o esquema de monitoramento montado. Um gradil foi instalado no entorno do Legislativo. Guardas municipais também patrulhavam constantemente a região. "Vamos remarcar", disse. Ele ainda não foi notificado da decisão judicial.

Em entrevista à FOLHA, Boca Aberta afirmou que recebeu o despacho "assustado e com muito espanto. É uma afronta à democracia. Já não basta o golpe sorrateiro em cassar o meu mandato, sou comunicado disso. Há uma organização criminosa instalada na Câmara". O ex-vereador reiterou que "até 15 de outubro (data em que foi cassado), não apresentava perigo aos vereadores, e ofereço risco um dia depois?".
Fonte: AN Notícias com Folha de Londrina

Galeria de Imagens