Carregando...

Alerta!

logo Destinação de R$ 500 mil para colégio estadual vira motivo de polêmica - Notícias - AN Notícias Destinação de R$ 500 mil para colégio estadual vira motivo de polêmica - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 11 de Dezembro de 2019

SAIBA MAIS

Dia de Santa Dionísia - Aniversário de Belo Horizonte - Dia da Bíblia - Dia de Nossa Senhora de Guadalupe -
03/12/2018 11h06

Destinação de R$ 500 mil para colégio estadual vira motivo de polêmicaAssessoria alega que parlamentar conseguiu o recurso. Diretor da instituição rebate

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

A governadora Cida Borghetti (Progressistas) assinou na sexta-feira (30/11) a liberação de verba no valor de R$ 503.242,50, recurso que será destinado para construção da cozinha e também do refeitório do Colégio Estadual Vera Cruz (Cevec).

No entanto, a “paternidade” dos recursos gerou mal-estar na última semana. Isso porque a assessoria de imprensa do deputado estadual Tiago Amaral (PSB) publicou no site oficial do parlamentar um release afirmando que a verba foi pelo próprio deputado. A direção do Cevec contesta esta versão.

Bortolanza

O diretor do Cevec, professor Dilson Bortolanza, afirmou à reportagem do Jornal Agora que a verba foi conquistada através de esforço da comunidade escolar. “Viajei oito vezes a Curitiba, onde fica o Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional (Fundepar) para solicitar esses recursos. Em nenhuma dessas idas à capital algum parlamentar me estendeu a mão”, relata.

Bortolanza conta ainda que em uma das ocasiões chegou a mostrar fotos de como os alunos do Cevec fazem suas refeições durante o intervalo, já que a instituição, que tem quase 70 anos, ainda não tem o refeitório.

Segundo o diretor, os recursos vieram da insistência junto a José Roberto Ruiz, ex-prefeito de Floresta e que atualmente ocupa o cargo de diretor-presidente do Fundepar.

Cileninho

Quando soube da polêmica, o ex-prefeito e diretor da Paraná Projetos, Cyllêneo Pessoa Pereira Júnior, postou em seu perfil pessoal no Facebook mensagem dizendo que iria “esclarecer informações sobre recursos do governo que foram destinados a Mandaguari”.

Ao Jornal Agora, Cileninho contou que, como integrante do governo do Estado, acompanhou a jornada de Bortolanza em busca da verba. “Que não é emenda parlamentar. Os recursos partiram exclusivamente do Fundepar. Cabe ressaltar que esse recurso estava perdido, e foi o próprio presidente do Instituto que intercedeu junto à governadora Cida Borghetti pela liberação desse meio milhão. Isso tudo diante do esforço do próprio diretor do Cevec. Portanto, o reconhecimento é devido ao Dilson e toda a equipe da direção”, diz.

O diretor da Paraná Projetos atribui a polêmica ao núcleo mandaguariense de Amaral. “Acredito que houve um oportunismo por parte dos apoiadores do parlamentar. Tiago Amaral tem contribuído muito para a cidade com a destinação emendas parlamentares, mas neste caso ele não teve participação. Não há registro na Fundepar de que houve emenda. Em minha opinião houve uma ‘forçação de barra’ na tentativa de atribuir a conquista a ele, mas que no final das contas gerou um grande constrangimento ao deputado”, conclui.

Tiago Amaral

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa do deputado divulgou a seguinte nota: "Dificilmente um recurso é liberado sem a nossa ação direta do início ao fim. Todos sabem da burocracia e da grande briga por recursos. Por opção do próprio colégio a solicitação foi feita diretamente a Fundepar. Ainda assim, como sempre estamos à frente de todos os assuntos que se referem à Mandaguari, a Fundepar nos consultou a respeito da priorização deste recurso e prontamente agimos para que ele fosse liberado".

Liberação

Enquanto continua o mal-estar relacionado à conquista do recurso, ao menos há uma notícia boa. O Governo do Paraná confirmou que o Cevec deve receber em breve o plano de execução das obras da cozinha e do refeitório. A expectativa é de que as melhorias comecem ainda em 2018.

Fonte: AN Notícias com Agora