Carregando...

Alerta!

logo Como os meninos resgatados de caverna na Tailândia estão sendo cuidados no hospital - Notícias - AN Notícias Como os meninos resgatados de caverna na Tailândia estão sendo cuidados no hospital - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 21 de Julho de 2018

SAIBA MAIS

Dia da Bandeira de Fernão Dias Paes Leme -
10/07/2018 11h21

Como os meninos resgatados de caverna na Tailândia estão sendo cuidados no hospitalUso de óculos escuros e alimentação sem temperos fortes fazem parte do tratamento

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

Após o resgate dos 12 meninos e do técnico que ficaram 17 dias presos em uma caverna na Tailândia, as equipes médicas se concentram em um esforço para melhorar o estado de saúde do grupo.

Eles ficaram 9 dias sem comer até serem encontrados por mergulhadores britânicos. A operação de resgate começou no domingo (8) e só acabou nesta terça-feira (10), com a retirada de quatro meninos e de seu técnico de futebol.

Os meninos ainda não tiveram contato físico com seus familiares. A equipe médica quer evitar que eles fiquem doentes ou transmitam alguma doença neste período de recuperação e para isso as visitas só foram liberadas através de um vidro. O primeiro grupo resgatado já viu os pais.
 

Eles devem permanecer uma semana no hospital. De acordo com o jornal "The New York Times", todos estão sendo mantidos na mesma sala do Hospital Chiangrai Prachanukroh, o principal hospital da província de Chiang Rai.

Também se juntarão a eles em quarentena os quatro mergulhadores tailandeses que ficaram com os meninos por mais de uma semana após sua descoberta na caverna, disse o Dr. Thongchai Lertwilairatnapong, médico de saúde pública da região norte da Tailândia.

 

Veja abaixo alguns dos cuidados médicos com os "javalis selvagens":

Sem abraços

Segundo o jornal inglês "The Guardian", Thongchai Lertwilairattanapong, uma autoridade do departamento de saúde da Tailândia, disse ao site de notícias Kom Chad Luek que não haveria "abraços ou toques" até que exames de sangue provassem que os meninos estavam livres de infecções.

Ele nomeou leptospirose e meliodose - infecções bacterianas que podem ser transmitidas através do solo ou da água contaminados- como possíveis riscos. Apesar das doenças não serem transmistidas pelo contato de pessoa para pessoa.

Saiba quem são os 12 meninos e o técnico resgatados Exames e vacinas

Neste período de quarentena, em que os meninos ficarão sob observação médica e com apenas o contato médico, uma série de exames e cuidados médicos estão programados.

Na chegada ao hospital, todos os meninos foram submetidos a vários exames, como exame de sangue e radiografias. Todos eles foram tratados com antibióticos e receberam vacinas, inclusive para tétano e raiva, disse o secretário permanente de saúde pública da Tailândia, Jesada Chokedamrongsuk.
 

Pneumonia

Jesada Chokedamrongsuk, médico do Ministério da Saúde da Tailândia, disse que dois meninos do primeiro grupo a ser libertado, que ele disse ter entre 14 e 16 anos, mostraram possíveis sinais de pneumonia e todos tinham baixas temperaturas corporais quando chegaram ao hospital.

  Alimentação

Após ficarem 9 dias sem comer, a alimentação foi reintroduzida aos poucos para evitar complicações. Já no hospital, apesar dos pedidos de outras comidas, os meninos ainta têm restrição alimentar.

Eles ainda não estão autorizados a comer a comida tailandesa, conhecida pelos temperos e especiarias, que estão pedindo. Até agora, eles comeram mingau, pão e um pouco de chocolate.

Segundo o "NYT", os médicos têm feito uma dieta rica em proteína, mas os meninos ainda reclamam de fome.
 

Óculos escuros

Como os meninos foram sendo liberados em grupos de quatro ao longo dos últimos dias, eles estão agora em diferentes estágios de recuperação depois de mais de duas semanas na caverna escura.

O primeiro grupo foi capaz de se ajustar à iluminação normal, mas os últimos ainda usam óculos escuros, disse o Dr. Jesada.

Risco de doenças

Os especialistas estão tomando precauções para o caso de os meninos terem adquirido alguma doença rara enquanto estiveram presos na caverna.

Um dos perigos é ter contraído uma infecção de morcegos ou roedores que eles possam ter encontrado. Segundo os próprios meninos, eles não viram animais selvagens na caverna inundada, mas os médicos ainda estavam preocupados.

O hospital enviou amostras de sangue dos meninos para um laboratório de Bangcok especializado em doenças infecciosas.

  Estresse pós-traumático

Além dos problemas físicos, eles também recebem cuidados psicológicos. Eles poderiam eventualmente sofrer com ansiedade, ataques de pânico, pesadelos recorrentes, fobias ou outros sintomas de transtorno de estresse pós-traumático.

O Dr. Jesada disse que os psicólogos começaram a visitar os meninos para ajudá-los a lidar com o trauma de estarem presos na caverna.

 

 

 

Fonte: AN Notícias com G1

Galeria de Imagens