Carregando...

Alerta!

logo Em busca da reeleição, Trump estuda corte de impostos para a classe média - Notícias - AN Notícias Em busca da reeleição, Trump estuda corte de impostos para a classe média - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 12 de Dezembro de 2019

SAIBA MAIS

Aniversário de Belo Horizonte - Dia da Bíblia - Dia de Nossa Senhora de Guadalupe Dia de Santa Dionísia -
16/11/2019 07h42

Em busca da reeleição, Trump estuda corte de impostos para a classe média Taxa cairia de 24% para 15%; custo em 10 anos: US$ 1,9 tri

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, estuda adotar como principal plataforma de sua campanha pela reeleição uma proposta de redução de impostos para a classe média.

Vários relatos na mídia norte-americana indicam que a ideia é oferecer a criação de uma alíquota de 15% para pessoas físicas que tem renda anual na faixa de US$ 30.000 a US$ 100.000 (de R$ 125,9 mil a R$ 419,6 mil, aproximadamente). Hoje, essas pessoas são enquadradas na faixa de até 24% ao declarar o Imposto de Renda.

A estratégia é demonstrar aos eleitores que o Partido Republicano não pensa apenas nos mais ricos, que passaram a pagar menos impostos no mandato de Trump.

Trump propôs em 2017 corte de impostos que aumentaria o deficit federal em US$ 1,5 trilhão até 2027. A proposta foi recebida mal tanto pelos congressistas, quanto pela população norte-americana. Os democratas, à época, disseram que a medida beneficiaria os mais ricos, aumentaria os impostos para as pessoas de classe média e, por fim, elevaria o deficit da União.

Em setembro de 2017, Trump detalhou o pacote fiscal. Nele, era possível identificar que o imposto para empresas seria reduzido em 20%. À época, o presidente norte-americano disse que a carga tributária dos EUA afastava empresas que desejavam continuar atuando no país. A lei foi promulgada em dezembro do mesmo ano.

O diretor do Conselho Econômico Nacional da Casa Branca, Larry Kudlow, disse à CNBC que ainda é “muito cedo” para entrar em detalhes específicos sobre o novo projeto e que isso também não deve acontecer nos próximos meses.

O jornalista Jeff Stein, do Washington Post, explicou que a proposta incluirá “1 corte de impostos na folha de pagamento, reformular como ganhos de capital são tributados, isentar poupanças de impostos e reduzir as alíquotas de impostos”.

A eleição presidencial norte-americana será realizada em 3 de novembro de 2020. Trump é o principal republicano na corrida pela Casa Branca. Entre os democratas, os candidatos mais fortes são o ex-vice-presidente dos EUA Joe Biden e os senadores Bernie Sanders e Elizabeth Warren.

POSSÍVEL SHUTDOWN

Nos Estados Unidos, a semana que se inicia será de pressão no Capitólio e na Casa Branca. Expira na 5ª feira (21.nov) a legislação que cede fundos temporários para órgãos federais. Caso não seja aprovada pelo Congresso, o governo pode ficar paralisado.

De dezembro a janeiro, os EUA enfrentaram 35 dias de shutdown, recorde na história do país. O presidente Donald Trump pode não promulgar o texto para tentar travar o processo de impeachment contra ele.

Segundo a newsletter da Fiscal Times, o Congresso deve aprovar a paralisação em 20 de dezembro. Os jornalistas Sarah Ferris e John Bresnahan, do Politico, dizem que os republicanos e democratas ainda não chegaram a 1 consenso sobre ceder os fundos temporários.

Fonte: AN Notícias com Agências