Carregando...

Alerta!

logo Vereador de Ponta Grossa cita boato e ameaça prender Pabllo Vittar - Notícias - AN Notícias Vereador de Ponta Grossa cita boato e ameaça prender Pabllo Vittar - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 19 de Dezembro de 2018

SAIBA MAIS

Dia do Atleta Profissional e Dia de São Nemésio -
19/10/2017 10h07

Vereador de Ponta Grossa cita boato e ameaça prender Pabllo VittarDeclarações de vereador contra Pabllo Vittar são criminosas, diz Comissão da OAB

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto
A presença da cantora drag queen Pabllo Vittar na abertura da 28ª München Fest, que acontece em dezembro, em Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, provocou a revolta do vereador e pastor Ezequiel Bueno (PRB) na segunda-feira (16).

O parlamentar usou a tribuna da Câmara para afirmar que a cidade não poderia receber “esse tipo de show” por ser “conservadora”. “Quero lamentar por que vão trazer essa pessoa para Ponta Grossa, em uma cidade família. Em uma cidade que brigamos no plano de educação para tirar ideologia de gênero nas escolas. Em uma cidade que somos conservadores, pais, mães e trabalhadores”, declarou o vereador.

Ele, ligado à igreja evangélica e policial militar aposentado, também afirmou que irá prender a cantora mesmo que vá preso por abuso de autoridade. “Quem quiser ir no show pode ir sem problema, desde que não seja com o meu dinheiro. E acho que vai pouca gente. Mas se inventar de sair na rua ou nas escolas, eu vou prender. Mesmo que depois eu seja preso por abuso de autoridade, como já falei e falo de novo. Não vamos deixar isso acontecer”, declarou o vereador.

A fala ocorreu logo após a apresentação do que seria uma publicação em um blog do deputado federal Jean Wyllys (Psol). De acordo com Bueno, o deputado e Pabllo Vittar irão “fazer uma turnê pelas escolas do Brasil ensinando as crianças sobre diversidade sexual”. A publicação, inclusive, já foi desmentida pelo deputado em sua página oficial no Facebook.

“O deputado concorda que a educação para as diversidades é urgente – no plural, porque esta educação precisa incluir a diversidade étnica, religiosa (de fato), sexual, entre tantas outras que nos tornam diferentes – e adora também a Pabllo Vittar, porém se trata de uma mentira qualquer notícia a este respeito, que tenta confundir o verdadeiro debate que precisa ser feito sobre o sofrimento das pessoas LGBT”, diz a nota de Jean Wylis.

Por fim, ele afirmou que pretende cobrar explicações da vice-prefeita e presidente da Fundação Municipal de Turismo, Elizabeth Schmidt (PSB), e do prefeito Marcelo Rangel (PPS), sobre o investimento de recursos públicos na festa e sobre a escolha do show de abertura do evento.

Declarações de vereador contra Pabllo Vittar são criminosas, diz Comissão da OAB

A Comissão da Diversidade Sexual e Gênero da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná, emitiu nota de repúdio às declarações do vereador pastor Ezequiel Bueno (PRB) contra a apresentação da drag queen Pabllo Vittar na abertura da 28ª München Fest. Na tribuna da Câmara, o vereador declarou que pretende prender Pabllo mesmo que vá preso por abuso de autoridade.

Vereador ameaça prender Pabllo Vittar no PR

De acordo com a nota, as declarações do vereador são criminosas. “Tais declarações constituem crime, uma vez que tal parlamentar se utilizou de suas convicções pessoais e preconceituosas sobre a contratação do evento artístico”, diz a presidente da comissão Thaís Boamorte. Ainda de acordo com a comissão, as declarações do parlamentar reforçam o discurso de ódio e segregação.

“Termos uma personalidade da comunidade LGBT em evidência nacional é de muito orgulho. Após os eventos recentes acontecidos na nossa cidade, que culminou até na morte de um homossexual, nos admira que um representante do povo profira palavras de ódio para um ser humano. Independentemente de sua orientação sexual, identidade de gênero, raça ou religião o mínimo que devemos ter como ser humano é o respeito ao próximo”.

A comissão também aponta que Ezequiel Bueno também é o parlamentar que barrou a inclusão da discriminação de gênero e orientação sexual no Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial e a discussão de identidade de gênero e orientação sexual nas escolas. “Tal parlamentar representa o preconceito e retrocesso que a comunidade pontagrossense LGBT luta diariamente”, finaliza a nota.

Declarações na Câmara

O parlamentar usou a tribuna da Câmara para afirmar que a cidade não poderia receber “esse tipo de show” por ser “conservadora”. “Quero lamentar por que vão trazer essa pessoa para Ponta Grossa, em uma cidade família. Em uma cidade que brigamos no plano de educação para tirar ideologia de gênero nas escolas. Em uma cidade que somos conservadores, pais, mães e trabalhadores”, declarou o vereador.
 

Ele, ligado à igreja evangélica e policial militar aposentado, também afirmou que irá prender a cantora mesmo que vá preso por abuso de autoridade. “Quem quiser ir no show pode ir sem problema, desde que não seja com o meu dinheiro. E acho que vai pouca gente. Mas se inventar de sair na rua ou nas escolas, eu vou prender. Mesmo que depois eu seja preso por abuso de autoridade, como já falei e falo de novo. Não vamos deixar isso acontecer”, declarou o vereador.

A fala ocorreu logo após a apresentação do que seria uma publicação em um blog do deputado federal Jean Wyllys (Psol). De acordo com Bueno, o deputado e Pabllo Vittar irão “fazer uma turnê pelas escolas do Brasil ensinando as crianças sobre diversidade sexual”. A publicação, inclusive, já foi desmentida pelo deputado em sua página oficial no Facebook.

“O deputado concorda que a educação para as diversidades é urgente – no plural, porque esta educação precisa incluir a diversidade étnica, religiosa (de fato), sexual, entre tantas outras que nos tornam diferentes – e adora também a Pabllo Vittar, porém se trata de uma mentira qualquer notícia a este respeito, que tenta confundir o verdadeiro debate que precisa ser feito sobre o sofrimento das pessoas LGBT”, diz a nota de Jean Wylis.


 

Fonte: AN Notícias com PR UOL