Carregando...

Alerta!

logo Por unanimidade, Câmara abre Comissão Processante contra prefeito de Rolândia - Notícias - AN Notícias Por unanimidade, Câmara abre Comissão Processante contra prefeito de Rolândia - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 27 de Novembro de 2020

SAIBA MAIS

Dia Nacional do Combate ao Câncer - Dia da Infância - Dia de São Máximo e Dia do Técnico de Segurança no Trabalho -
29/10/2013 12h05

Por unanimidade, Câmara abre Comissão Processante contra prefeito de RolândiaOs dez vereadores decidiram instalar CP para apurar a responsabilidade de Johnny Lehmann

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

A Câmara de Rolândia aprovou, na noite desta segunda-feira (28), a abertura de uma Comissão Processante (CP) para apurar a responsabilidade do prefeito Johnny Lehmann (PTB) em supostas irregularidades na saúde. Todos os dez vereadores – inclusive os da base do prefeito – votaram a favor da criação da CP, uma continuação de uma Comissão Especial (CE) que investigou a contratação irregular de funcionários para o Hospital São Rafael, além do superfaturamento no conserto de ambulâncias.

Na ocasião, os vereadores também votaram a composição da comissão. Na presidência, ficará o oposicionista José de Paula Martins (PSD); na relatoria, Alex Santana (PSB); e como membro, Waldemar Moraes de Almeida (PSDB). A comissão tem cinco dias para notificar Lehmann da abertura da CP e 90 dias, após a notificação, para terminar o relatório, que pode concluir pela cassação do mandato do prefeito.

Protocolado por Cristina Pieretti de Souza no dia 17, o pedido já havia sido retirado de pauta na semana passada, sob a alegação de que faltavam documentos. Segundo o vereador Martins, em entrevista ao JL quando o pedido foi protocolado, o prefeito seria um dos responsáveis pelos desvios na saúde. “Durante a Comissão Especial, encontramos um rombo de mais de R$ 1 milhão, sendo R$ 600 mil do conserto de ambulâncias e o restante nos contratos dos funcionários”. Segundo ele, 205 funcionários estariam contratados irregularmente, sem concurso público.

Fonte: Jornal de Londrina