Carregando...

Alerta!

logo Campos diz que Rossi ‘conseguiu fazer o brega ser ouvido por todos’ - Notícias - AN Notícias Campos diz que Rossi ‘conseguiu fazer o brega ser ouvido por todos’ - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 23 de Setembro de 2020

SAIBA MAIS

Dia do sorvete - Dia de São Lino - Dia do Soldador - Dia Nacional da Arábia -
21/12/2013 03h47

Campos diz que Rossi ‘conseguiu fazer o brega ser ouvido por todos’Governador compareceu ao velório do cantor na noite desta sexta-feira (20)

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto
O governador Eduardo Campos afirmou, nesta sexta-feira (20), que o cantor Reginaldo Rossi conseguiu fazer o brega ser ouvido por todos. “Nós estamos vivendo um momento de luto em Pernambuco. Reginaldo conseguiu quebrar preconceitos, aproximar universos que eram distantes uns dos outros, fazer o brega ser ouvido por todos, fazer música popular com qualidade, fazer um show com a presença de diversos ritmos da nossa música”, afirmou durante o velório do músico, que ocorre na Assembleia Legislativa, Centro do Recife.

Campos ainda destacou que o compositor contribuiu para divulgar as belezas de Pernambuco. “É uma perda muito grande da nossa cultura, um querido amigo, um pernambucano que levou o nome do nosso estado para o Brasil e para o mundo, que divulgou as belezas do Recife, de Itamaracá, de todo o nosso estado, que fez a alegria no palco de muitas gerações”, comentou.

Ao ficar sabendo da notícia da morte de Rossi, o governador diz ter ficado muito triste. “Por outro lado, foi o que disse a seus parentes: Reginaldo Rossi não teve uma vida que comportasse limitações, ou seja, a gente tenta depois compreender tudo isso, a gente que acredita em Deus sabe que foi melhor”.

Na noite desta sexta, a movimentação de fãs continua grande no local do velório. A vendedora Marlúcia Rodrigues, 52 anos, levou o filho Robson José, 12, ao velório. “Não era fã como minha mãe, mas conhecia músicas dele sim, claro", revelou o jovem. “Valeu muito a pena ter vindo. Não fiquei muito tempo na fila e pude vê-lo. Vou fazer de tudo para ir ao enterro amanhã [sábado]”, acrescentou Marlúcia.

Outra fã, a manicure Carla Margarida da Silva, 30, fugiu do trabalho e enfrentou fila para poder se despedir do artista. “Dei uma desculpa para minha chefe e vim. Já que vou trabalhar de novo no sábado, não poderei ir ao enterro, então tinha que vê-lo hoje [sexta]. Escuto Reginaldo Rossi desde que tinha 8 anos e pra mim brega, só ele", afirmou.

Ao entrar na Assembleia Legislativa, alguns fãs cantavam a música “Garçom”, hit do cantor. Outros deixaram flores em cima do caixão. O marceneiro Luiz Carlos de Souza fez questão de se vestir como o “Rei do Brega”. Nas horas vagas, ele faz cover do ídolo e adota o nome de “Rossi dos Coelhos”. "Somos conterrâneos, eu moro no bairro dos Coelhos, onde ele nasceu. Para nós, ele não está morto, está apenas dormindo. O Rei nunca morre, ele vive nos corações e nas canções", contou.
 

O cantor Alcimar Monteiro lembrou que Reginaldo Rossi o abrigou quando ele chegou ao Recife para trabalhar. "Além de ter um coração enorme, ele assumiu uma coisa que pouco artista tem, que é cantar o que o povo canta. É falar da alma do brasileiro. Se fôssemos comparar Reginaldo a um outro que conviveu com as letras, seria um Nelson Rodrigues, Jorge Amado, ele cantou nossa ascendência", ressaltou.

Tendo frequentado a casa de Rossi, o deputado estadual Daniel Coelho fez questão de ressaltar a capacidade de olhar o próximo que o cantor tinha. "Eu vou guardar sempre a casa dele sempre cheia. Ele era uma pessoa muito solidária, estava sempre ajudando todo mundo, isso é algo que sempre vou guardar dele", comentou.

O aspecto humano e cidadão do compositor foi destacado também pelo cantor Silvério Pessoa. “Ele cantava a cidade, Pernambuco. Muitos artistas saem do Recife e olham a cidade de longe, ele não. É muito difícil você escutar um cantor exaltar a cidade como ele fez. Fora o legado musical, que é indiscutível”, disse.

 

Fonte: G1

Galeria de Imagens