Carregando...

Alerta!

logo Crise no governo Ratinho JR: em greve, 400 servidores dormem na Assembleia Legislativa do Paraná - Notícias - AN Notícias Crise no governo Ratinho JR: em greve, 400 servidores dormem na Assembleia Legislativa do Paraná - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 23 de Julho de 2019

SAIBA MAIS

Dia do Instituto Oswaldo Cruz - Dia do Guarda Rodoviário -
10/07/2019 12h32

Crise no governo Ratinho JR: em greve, 400 servidores dormem na Assembleia Legislativa do ParanáServidores estão de braços cruzados desde o dia 25/06

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

Cerca de 400 servidores estaduais em greve passaram a madrugada, desta quarta-feira (10), nas galerias da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), de acordo com o Fórum das Entidades Sindicais (FES). Eles ocuparam o local nesta terça-feira (9) para reivindicar o direito à data-base e prometem sair só com uma resposta do governo.

De braços cruzados desde o dia 25 de junho, os servidores denunciam uma defasagem salarial de 17% – resultado de quatro anos de salários congelados. Para desocupar o prédio, os trabalhadores pedem, pelo menos, a recomposição da inflação do último ano, calculada em 4,94% segundo o índice IPCA.

O Palácio Iguaçu fez uma primeira proposta de reajuste de 0,5% a partir de outubro de 2019; depois aumentou a oferta para 2%, mas apenas a partir de janeiro de 2020. As duas propostas foram recusadas pelos servidores.

Ontem, duas reuniões aconteceram com equipes do governo para tratar da greve, mas, segundo o FES, nenhuma resultou em nova proposta do Executivo. Além disso, após a ocupação da Alep, um grupo de deputados tentou obter respostas do governador Ratinho Júnior (PSD), mas não obteve sucesso.

 

Os manifestantes afirmaram que permanecem no prédio e acompanham a sessão da casa nesta quarta-feira (10). Eles destacam que esperam o bom senso do governo em abrir mesa de negociação e debater saídas para a greve que já completa 15 dias.

Após um ato unificado que reuniu milhares de servidores no Centro Cívico, nesta terça-feira (9), representantes de várias categorias assistiam à sessão plenária na Alep. Eles aguardavam as discussões relacionadas às pautas da greve. Inflamados pelo discurso do deputado missionário Ricardo Arruda (PSL), contrário às manifestações, os trabalhadores passaram a ocupar as demais galerias do Plenário. A sessão foi interrompida por cerca de meia hora.

Ato unificado de servidores marca segunda semana de greve no PR

Aos gritos de “covardes” e “vergonha”, os deputados viram a sessão plenária ser interrompida por cerca de meia hora, enquanto os servidores tomavam as galerias do prédio. A sessão chegou a ser retomada, mas foi encerrada por Ademar Traino (PSDB).

Fonte: AN Notícias com PR UOL

Galeria de Imagens