Carregando...

Alerta!

logo Deputados aprovam novo pacote fiscal de Richa que congela concurso para PMs - Notícias - AN Notícias Deputados aprovam novo pacote fiscal de Richa que congela concurso para PMs - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 18 de Dezembro de 2018

SAIBA MAIS

Dia Nacional de Níger - Dia de São Graciano e Dia de São Rufo -
05/09/2017 06h54

Deputados aprovam novo pacote fiscal de Richa que congela concurso para PMsAlém de congelar as contratações, projeto do governo mexe no funcionalismo público

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto
Em meio à bombástica delação do empreiteiro Eduardo Lopes de Souza, a Assembleia Legislativa do Paraná aprovou, nesta segunda-feira (4), o novo pacote fiscal do governador Beto Richa (PSDB). A proposta, que ainda passará por uma última votação – apenas de praxe – nesta terça-feira (5) antes de ser enviada à sanção, mexe em mais de uma dezena de questões envolvendo o funcionalismo público. A expectativa é que a economia aos cofres públicos chegue a R$ 100 milhões por ano.   O cerne do projeto prevê que o governo compre horas de folga de policiais militares. Diante disso, não ocorrerão concursos públicos para contratação de policiais e bombeiros por um período de três anos, a menos que haja autorização na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e que a despesa do governo com pessoal se encontre dentro dos limites previstos na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).   Em paralelo, Richa aposta na criação de uma diária especial de 6 horas, permitindo que homens das forças de segurança trabalhem para o Estado mesmo nos períodos de folga. Será permitido atuar em no máximo dez diárias por mês, com intervalo mínimo de 11 horas para retorno às atividades. O valor a ser pago pelo governo será definido posteriormente.     Ainda envolvendo a Polícia Militar (PM), o projeto dobra o abono de permanência para praças, a fim de evitar aposentadorias precoces; e possibilita que policias aposentados há no mínimo dois anos atuem em atividades internas e na guarda de imóveis públicos, recebendo pelo menos R$ 75 por dia trabalhado.   Gratificações congeladas   O projeto aprovado pelos deputados estaduais ainda congela diversas gratificações pagas pelo Executivo, ao prever a aplicação dos reajustes salariais apenas à remuneração base de cada funcionário. Ao “desindexar diversas gratificações por encargos especiais à revisão geral anual”, o tucano afirma estar seguindo a Constituição Federal, segundo a qual o reajuste deve incidir sobre o vencimento base dos servidores e não sobre vantagens de caráter transitório.   O texto também estabelece que a gratificação por risco e insalubridade paga a servidores que atuam em unidades penais passe a ter valores fixos, em vez de ser vinculada ao salário base de cada funcionário. A justificativa é que o modelo atual gera “tratamento desigual entre servidores que atuam no mesmo local de trabalho”, provocando um “descompasso remuneratório”.
Fonte: AN Notícias com Gazeta do Povo

Galeria de Imagens