Carregando...

Alerta!

logo Governador do Paraná deve prorrogar isolamento social por pelo menos mais 10 dias - Notícias - AN Notícias Governador do Paraná deve prorrogar isolamento social por pelo menos mais 10 dias - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 29 de Maio de 2020

SAIBA MAIS

Dia do Geógrafo - Dia da Decoração e Dia do Estatístico -
28/03/2020 05h14

Governador do Paraná deve prorrogar isolamento social por pelo menos mais 10 diasUm videoconferência reuniu na manhã deste sábado (28) o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, e prefeitos de dez cidades do Estado

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

Um videoconferência reuniu na manhã deste sábado (28) o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior, e prefeitos de dez cidades do Estado, entre eles o prefeito de Curitiba Rafael Greca. A reunião teve como objetivo alinhar um planejamento estratégico entre governo e municípios para enfrentar o avanço do novo coronavírus. “Precisamos pensar em conjunto, trocar experiências e unificar ações para que erremos o menos possível. A pandemia não é uma corrida de cem metros. É uma maratona, que em 15 dias não se resolve. Vamos enfrentar essa situação até junho, julho e por isso é preciso criar um modelo de gestão de crise”, disse Ratinho Júnior. O governador iria se reunir com mais prefeitos durante esse sábado (28) e também no domingo (29) por videoconferência para alinhar o discurso e ouvir as propostas. Segundo informações extraoficiais, o governador deve anunciar neste domingo (28) que as medidas de isolamento, com fechamento do comércio, shoppings e suspensão de aulas, vão continuar por pelo menos mais 10 dias no Paraná. Lembrando que os decretos do governo já prevêem as medidas por tempo indeterminado, enquanto durar pandemia de Covid-19. 

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) confirmou mais 12 casos de coronavírus neste sábado (28). Atualmente o Paraná possui 137 casos confirmados – quatro não residem no Estado –, 2.134 descartados e 968 em investigação. O estado segue com duas mortes confirmadas, em Maringá.

'Se a gente sair andando todo mundo de uma vez, vai faltar pro rico, pro pobre', diz ministro da Saúde

Participaram da reunião deste sábado de manhã os prefeitos de Curitiba, Ponta Grossa, Londrina, Maringá, Guarapuava, Auaucária, São José dos Pinhais, Cascavel, Foz do Iguaçu e Piraquara. Prefeitos e secretários descreveram a situação nas suas cidades e os desafios enfrentados com o crescimento do número de casos do novo coronavírus.

“Temos que estar unidos nesse momento em que a dualidade de comunicação não pode existir. Temos que ter uma mensagem única, falar a mesma língua. Somos mais fortes que qualquer dificuldade. O ânimo não pode faltar. Temos fé na vida e nos serviremos de tudo que sabem a ciência e a medicina para enfrentarmos esse momento”, destacou Greca.

“Confio plenamente nas orientações do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, do secretário estadual da Saúde, Beto Preto, e da secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak”, completou o prefeito. Greca disse que é preciso que todos ajam da mesma maneira para que o Paraná se mantenha forte no objetivo de salvar vidas e minimizar os impactos da covid-19 sobre a economia.

Pacientes graves hospitalizados do Paraná poderão receber Cloroquina 

Em Curitiba, 78,8% dos infectados com coronavírus têm menos de 60 anos

Na contramão

Em assembleia por videoconferência realizada na tarde desta sexta (27), 43 prefeitos e prefeitas da Amop (Associação dos Municípios do Oeste do Paraná) decidiram, por unanimidade de votos, pela reabertura gradual do comércio nas cidades da região a partir da próxima quarta-feira (1). O secretário de Estado de Saúde, Beto Pretto, em entrevista ao telejornal Meio Dia deste sábado (28) vê com preocupação a decisão dos prefeitos. "Os prefeitos têm autonomia. Entendo a pressão que os prefeitos estão sofrendo pelo lado econômico, mas o momento é diferente, não é como H1N1.  Nossa previsão é que, com o isolamento, tenhamos 10 mil casos confirmados em quatro meses no Paraná, mas se ampliarmos as aglomerações, teremos que trabalhar com um número muito maior e mais óbitos", disse o secretário. "Eu vejo que que com esses dois óbitos confirmados em Maringá, as estratégias tenham que ser mudadas".

Mais testes

A secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, ressaltou a necessidade da ampliação dos testes de verificação da covid-19 para melhorar o monitoramento do avanço da doença. A proposta é atuar em parceria com o governo estadual no Laboratório Municipal de Curitiba ou no Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen), com o trabalho sendo feito em conjunto com a equipe municipal de saúde. Em Curitiba, além da secretária da Saúde, o vice-prefeito, Eduardo Pimentel, o secretário do Governo Municipal, Luiz Fernando Jamur, o assessor Guilherme Zuchetti e a chefe de gabinete, Cibele Fernandes Dias, acompanharam a teleconferência do prefeito com o governador.

“Precisamos fazer, pelo menos 100 testes por semana para pacientes suspeitos. Estamos entrando no outono, que é um período em que há um crescimento de quadros de problemas respiratórios e vamos precisar fazer mais testes”, declarou Márcia.

A secretária também enfatizou a necessidade de ampliar a oferta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para profissionais de saúde. “Temos feito um esforço muito grande, ainda temos estoque e estamos usando máscaras escudo impressas em 3D pela FabLab na Rua da Cidadania do Cajuru, mas vamos precisar de mais”, acrescentou.

Segundo último boletim, divulgado na sexta-feira (27/3), Curitiba tem 71 casos confirmados da covid-19. Há 368 descartados e 68 suspeitos.

Fonte: AN Notícias com Bem PR