Carregando...

Alerta!

logo Polícia indicia Najila e ex-marido por extorsão, calúnia e fraude  - Notícias - AN Notícias Polícia indicia Najila e ex-marido por extorsão, calúnia e fraude - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 15 de Novembro de 2019

SAIBA MAIS

Dia da Proclamação da República - Dia do Jornaleiro - Dia de Santo Alberto Magno - Dia do Esporte Amador -
10/09/2019 11h12

Polícia indicia Najila e ex-marido por extorsão, calúnia e fraude As acusações são desdobramentos do caso investigado e encerrado que tinha por finalidade apurar suposto crime de estupro praticado por Neymar

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

A Polícia Civil de São Paulo indiciou, nesta terça-feira (10), a modelo Najila Trindade, de 26 anos, e o ex-marido, Estivens Alves, por extorsão, calúnia e fraude processual.

As acusações são desdobramentos do caso investigado e encerrado junto à 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, que tinha por finalidade apurar o suposto crime de estupro praticado pelo jogador Neymar. “Analisei todas as possibilidades, mas não vi indícios suficientes de autoria. Não chegamos à conclusão que ocorreu estupro nem agressão”, disse a delegada Juliana Lopes Bussacos na época – o órgão concluiu a investigação no dia 29 de julho.

Leia mais: Najila Trindade vai à Justiça contra ex-marido por pensão para o filho

Em seguida, um inquérito para apurar possíveis crimes que Najila teria cometido foi aberto pelo 11° DP (Santo Amaro). Os agentes investigaram, então, se a modelo mentiu quando afirmou que seu apartamento foi arrombado e um tablete, furtado. Além disso, foi apurado se a modelo teve alguma participação na tentativa de extorsão contra o jogador.

Nesta terça, a polícia informou que a delegada Monique Lima concluiu os inquéritos. Com base no conjunto probatório reunido durante as investigações, a agente de segurança decidiu pelo indiciamento de Najila por denunciação caluniosa, fraude processual e extorsão. Já o ex-marido, Alves, por fraude processual e por divulgar material com conteúdo erótico da modelo para uma repórter, em troca de publicações suas na internet, segundo informações da Secretaria Estadual de Segurança Pública.

Os inquéritos seguem sob segredo de Justiça e foram encaminhados ao Tribunal de Justiça para apreciação dos representantes do Ministério Público e do Judiciário.

Procurado pela reportagem, a defesa da modelo disse que não teve acesso ao relatório final da delegacia e, por isso, ainda não irá se manifestar.

Fonte: AN Notícias com R7