Carregando...

Alerta!

logo Policial - Notícias - AN Notícias Policial - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 16 de Dezembro de 2018

SAIBA MAIS

Dia do Reservista - Dia de Santo Eusébio - Dia do Teatro Amador e ia Nacional de Bahrein -

Notícias

17/02/2018

Menos de 24 h após ser preso, acusado de mandar matar fiscal que combatia fraudes é solto

Menos de 24 horas após ser preso em um shopping de Curitiba, o empresário Onildo Chaves de Córcova II foi solto pela Justiça no fim da tarde deste sábado (17). Ele é acusado de ser o mandante da morte de Fabrizzio Machado da Silva, que era presidente da Associação Brasileira de Combate a Fraudes de Combustíveis.

O crime aconteceu no dia 23 de março de 2017, quando a vítima chegava de carro em casa, no bairro Capão da Imbuia. O alvará de soltura é do juiz substituto Rodrigo Fernandes Lima Dalledone.

O mandado de prisão preventiva havia sido expedido pela juíza Karine Pereti de Lima Antunes, da 1ª Vara Tribunal do Júri, baseado em um pedido do Ministério Público do Paraná (MPPR).

Segundo a decisão do MP, em nenhum momento “houve revogação da prisão preventiva, mas sim adequação do caso concreto até que houvesse liberação médica, o que ocorreu em 09/02/2018”. Córdova havia tido substituição da prisão preventiva por internação em clínica psiquiátrica em regime integral até que perdurasse o tratamento.

O empresário foi preso pela Polícia Civil em abril do ano passado em um flat no bairro Batel. Onildo já foi vereador na cidade de Madirituba e era dono de quatro postos de combustíveis em Curitiba e região metropolitana.

De acordo com as investigações, ele mandou matar Fabrizzio pelo valor de R$ 21 mil. O homicídio teria sido motivado justamente por conta do papel do fiscal no combate de fraudes a combustíveis.

O homem que atirou contra a vítima, Patrick Jurczyszin Lenadro, e o intermediário Ronei Dulciano Rodrigues também foram detidos na ocasião.