Carregando...

Alerta!

logo A Câmara de Rolândia abre CP e pode cassar mandato de Francisconi - Notícias - AN Notícias A Câmara de Rolândia abre CP e pode cassar mandato de Francisconi - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 21 de Novembro de 2018

SAIBA MAIS

Dia Mundial da Televisão - Dia das Saudações - Dia da Homeopatia - Dia do Diabético - Dia de N.Sra de Apresentação -
30/10/2018 12h33

A Câmara de Rolândia abre CP e pode cassar mandato de FrancisconiA CP foi aberta com a aprovação da representação do vereador João Gaúcho (PSC)

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto
A Câmara Municipal de Rolândia abriu nesta segunda-feira (29) CP (Comissão Processante) contra o prefeito afastado Luiz Francisconi (PSDB), com base nas denúncias de recebimento de propina e de fraude em licitações para a concessão de uso de um barracão por uma empresa privada e para o transporte público escolar. As denúncias, investigadas pelo Ministério Público de Londrina, levou ao afastamento da alta cúpula do governo local e ao monitoramento eletrônico por meio de tornozeleiras.

A CP foi aberta com a aprovação da representação do vereador João Gaúcho (PSC), que fez parte de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que investigou as mesmas suspeitas, mas que chegou à conclusão de que apenas secretários teriam participado do esquema, sem o envolvimento do tucano. "Mas, após acesso aos autos do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado, braço especializado do MP contra crimes do colarinho branco), conseguimos juntar provas que subsidiaram a abertura da CP", justifica João Gaúcho.

A comissão foi formada com Irineu de Paula (PSDB) na presidência; Reginaldo Silva (SD) como relator; e Edilene Griggio (PSC) como membro. Eles vão investigar suposta improbidade administrativa, fraude em licitação e recebimento de propina. O prazo de execução dos trabalhos é de 90 dias. Segundo João Gaúcho, não haverá recesso parlamentar na Câmara, apesar de não haver sessões ordinárias no fim de dezembro e no mês de janeiro de 2019.

O advogado Anderson Mariano, que defende Francisconi, disse que a defesa não teve acesso aos autos, mas afirmou que "o prefeito está tranquilo e, com certeza, provará sua inocência perante a Câmara de Vereadores".
Fonte: AN Notícias com Folha de Londrina

Galeria de Imagens