Carregando...

Alerta!

logo Brasileiros começam a usar droga de balada contra doença psiquiátrica - Notícias - AN Notícias Brasileiros começam a usar droga de balada contra doença psiquiátrica - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 12 de Novembro de 2018

SAIBA MAIS

Dia do Supermercado e Dia de São Martinho -
11/09/2018 05h44

Brasileiros começam a usar droga de balada contra doença psiquiátricaEduardo Schenberg faz pesquisas com o MDMA associado à psicoterapia para ajudar pacientes que sofrem com transtorno de estresse pós-traumático

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

O MDMA é uma droga mais conhecida pelo uso recreativo em festas do que por seu potencial terapêutico, mas tem ajudado pacientes com estresse pós-traumático a terem mais qualidade de vida.

As letras são uma sigla do nome químico da molécula Metileno Dióxido Metil Anfetamina. Essa substância é mais conhecida por apelidos como MD, bala, ecstasy, Michael Douglas, pastilha ou só pela letra ‘E’.

Um novo modelo de tratamento para esse transtorno psiquiátrico está sendo estudado por médicos em vários países, inclusive por um brasileiro, que utiliza o MDMA associado com o acompanhamento psiquiátrico e psicológico.

“O MDMA tem vários potenciais terapêuticos, mas o principal, que vem sendo estudado com muita seriedade, é no tratamento de transtorno de estresse pós-traumático”, afirma Eduardo Schenberg, mestre em psicofarmacologia pela UNIFESP, doutor em neurociências pela USP, e pós-doutorado pela Imperial College de Londres.

O estresse pós-traumático é uma doença psiquiátrica que pode ser desenvolvida em pessoas que passaram por uma situação traumatizante. Em geral, casos de violência como estupros, sequestros e assaltos podem desencadear a transtorno.

“O transtorno de estresse pós-traumático é grave. Os pacientes têm uma alta taxa de suicídio, muitos pesadelos, ataques de pânico e dificuldades afetivas. Com o passar do tempo, esses sintomas pioram e não existe um medicamento específico para o tratamento”, explica Schenberg.
 

No tratamento convencional, as medicações são prescritas de acordo com os problemas apresentados como insônia, tensões musculares e depressão. Não existe ainda uma substância específica para tratar especificamente o problema psiquiátrico.

O pesquisador brasileiro iniciou os testes com o uso do MDMA para tratamentos psiquiátricos neste ano. Porém, os tramites para conseguir a autorização para importar a substância em 2014. Hoje, quatro pacientes utilizam a substância com acompanhamento médico após tentarem sem sucesso os caminhos tradicionais.

Terapia e MDMA
O paciente em tratamento toma uma cápsula contendo a substância e é acompanhado por um psiquiatra e um psicólogo, geralmente um homem e uma mulher. Os efeitos começam em cerca de 30 minutos duram de cinco a oito horas, dependendo do estado emocional da pessoa.

Ao concluir a sessão, a pessoa passa a noite no local e no dia seguinte faz uma nova consulta, desta vez sem a substância. No total, são 15 sessões de terapia, sendo que apenas três com o uso da droga.

“O MDMA é uma droga psicoativa que intensifica a percepção das emoções, facilita o raciocínio e desinibe o compartilhamento de experiência”, afirma Schenberg.

 

Fonte: AN Notícias com R7