Carregando...

Alerta!

logo Ator Leonardo Vieira presta queixa após sofrer ataques homofóbicos na web - Notícias - AN Notícias Ator Leonardo Vieira presta queixa após sofrer ataques homofóbicos na web - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 25 de Junho de 2018

SAIBA MAIS

Dia da Empregada Doméstica - Dia do Antinatal (satanistas) - Dia do Quilo - Dia do Imigrante -
09/01/2017 11h28

Ator Leonardo Vieira presta queixa após sofrer ataques homofóbicos na webEle foi ofendido depois de ser fotografado aos beijos em uma boate. 'A delegacia tem instrumentos para identificar', diz ele.

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

Vítima de homofobia em mensagens publicadas em redes sociais, o ator Leonardo Vieira esteve, na tarde desta segunda-feira (9), na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), na Cidade da Polícia, no Jacaré, na Zona Norte do Rio depor sobre o caso. As ofensas aconteceram dias depois que Leonardo foi fotografado aos beijos numa festa.

"Vim na delegacia para prestar queixa sobre os ataques homofóbicos que estou recebendo. A delegacia tem instrumentos para identificar essas pessoas que eu não tenho", contou à imprensa o ator.

Vieira afirmou que decidiu ir à delegacia para ser a voz de uma minoria que não é ouvida. "Eu estou dando voz a essas pessoas que provavelmente não são ouvidas. Um menino do morro, uma pessoa que é morta com uma lâmpada na cabeça na [Avenida] Paulista", defendeu.

O ator também criticou aqueles que o xingaram nas redes sociais afirmando que elas não conhecem o "mínimo sobre Direitos Humanos". Também agradeceu aos fãs que saíram em sua defesa.

"Eu acho que pessoas que atacam a dignidade humana não conhecem o mínimo de Direitos Humanos. Está na nossa Constituição que todos temos direito a dignidade", enfatizou Vieira.

Vieira ainda defendeu que haja uma defesa política pela criminalização da homofobia. Segundo ele, "exatamente por não ser crime" é que ele decidiu ir à polícia prestar queixa.

"Como cidadão, eu tenho a obrigação de cumprir com meu papel e trazer essa discussão para a sociedade e que isso seja levado ao plenário, que seja discutido politicamente e que passe a ser crime. Porque é crime. Tem pessoas que morrer por isso", destacou Vieira.

Segundo a delegada Fernanda Fernandes, os autores das ofensas de cunho homofóbico podem ser presos por até seis meses por injúria: "Todo crime deixa rastro. Nós temos sempre como identificar a autoria. A internet não é mais um lugar onde não se encontram os rastros", disse ela.

Fonte: AN Notícias com G1

Galeria de Imagens