Carregando...

Alerta!

logo Chuvas provocam oito mortes no Paraná - Notícias - AN Notícias Chuvas provocam oito mortes no Paraná - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 28 de Novembro de 2020

SAIBA MAIS

Dia do Soldado Desconhecido - Dia de São Rufo -
08/06/2014 10h54

Chuvas provocam oito mortes no ParanáCom três mortes confirmadas, a cidade de Guarapuava tem o maior número de vítimas

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto
As fortes chuvas que atingem o Paraná deixaram um saldo de pelo menos oito mortos em menos de 24 horas, segundo dados divulgados pela Defesa Civil. A cidade de Guarapuava, na região Central, contabiliza o maior número de vítimas fatais. Três pessoas morreram, entre elas o jovem Leandro Bordiak, 29, que foi levado pela correnteza ao tentar fechar a porta de casa.

Duas mortes foram registradas na noite deste sábado (7) na cidade de Medianeira. Andreia Luzia Borgmann da Silva, 20, e o filho Samuel da Silva, de apenas nove meses, retornavam do interior do município no carro da família que era conduzido por Eder Dorvalino da Silva. Ao tentar cruzar uma pequena ponte, o carro foi levado pela correnteza e arrastado por aproximadamente 200 metros.

Dorvalino, que conduzia o carro, conseguiu sair e ficou agarrado nos galhos de uma árvore até ser regatado pelo Corpo de Bombeiros que o encaminhou em estado de choque para um hospital da cidade. Desesperado, ele gritava informando que a família estava dentro do automóvel. Mãe e filho morreram no local.

Em Sulina, no Sudoeste do Paraná, Paulo Inácio Kaling, 39, morreu soterrado após sua casa ser atingida por um barranco que desmoronou. A filha dele e a mulher ficaram feridas. Outra pessoa morreu vítima de afogamento na cidade de Campina do Simão, região central.

Outra morte foi registrada por volta das 21 horas de sábado na PR-158, entre Rio Bonito do Iguaçu e Laranjeiras do Sul. Um carro rodou na pista molhada, bateu em uma árvore e caiu em córrego. Três pessoas estavam no automóvel e os bombeiros suspeitam que a passageira Marilei Eva Lambrecht, 41, tenha sido ejetada para fora. O corpo dela foi arrastado pela correnteza por aproximadamente 800 metros.

Em Quedas do Iguaçu, no Centro-Sul do estado, um deslizamento no início da tarde deste domingo destruiu uma casa. Segundo informações do Corpo de Bombeiros local, pelo menos uma pessoa foi soterrada e pode estar morta. Ainda não há confirmação.

Municípios

A Defesa Civil divulgou um novo boletim às 15 horas deste domingo com um balanço dos estragos causados pelos temporais. Até agora, as chuvas provocaram danos em 60 municípios do estado e deixou 936 pessoas desabrigadas e 2152 desalojadas. No total, 43.826 pessoas foram afetadas de alguma forma pelos temporais.

Curitiba permanece como a cidade com o maior número de afetados (15.213) e de residências danificadas (3.509). Mas a madrugada na capital já foi bem mais tranquila que no sábado, segundo a prefeitura, porque choveu menos e o nível da água baixou. Não havia mais nenhum desabrigado na cidade pela manhã.

A energia elétrica, segundo a Copel, já foi praticamente restabelecida, com cerca de 100 domicílios ainda desligados da rede. A previsão é de normalização até o início da tarde. Apenas alguns serviços mais complexos, como a troca de postes, ainda não puderam ser concluídos.

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Cidade Industrial de Curitiba, que ficou sem energia neste domingo, já está voltando ao normal depois de ser religada. Mas a prefeitura ainda recomenda que as pessoas que precisarem de atendimento médico se dirijam a outros locais.

O governador Beto Richa convocou uma reunião de emergência e vai anunciar algumas medias ainda neste domingo.

Santa Catarina

Chuvas intermitentes causaram estragos também em pelo menos 18 cidades catarinenses. Os municípios de Mafra, Canoinhas, Major Vieira, São Bento do Sul, Papanduva, Vitor Meireles, Jaraguá do Sul, Porto União, Irineópolis, Rio dos Cedros, Apiúna, Guaramirim, Rio Negrinho, Doutor Pedrinho, Itaiópolis, Caçador, Porto União e Três Barras sofreram inundações e deslizamentos. A cidade de Corupá, conforme informações da Defesa Civil estadual, foi a primeira a decretar situação de emergência. Guaramirim registra 15 mil desalojados. Joinville e Blumenau também apresentam alagamentos.

Fonte: AN Notícias com Gazeta do Povo

Galeria de Imagens