Carregando...

Alerta!

logo Fachin vota para rejeitar nova denúncia contra Gleisi Hoffmann - Notícias - AN Notícias Fachin vota para rejeitar nova denúncia contra Gleisi Hoffmann - Notícias - AN Notícias

Apucarana, 24 de Maio de 2024

SAIBA MAIS

Dia da Batalha de Tuiuti - Dia do Café - Dia do Datilógrafo - Dia do Detento - Dia Do Milho - Dia do Telegrafista -
13/11/2023 00h02

Fachin vota para rejeitar nova denúncia contra Gleisi HoffmannJulgamento está acontecendo em plenário virtual e deve ser concluído até o dia 20 de novembro; por ter atuado no caso, Cristiano Zanin está impedido de votar

Diminuir texto Diminuir texto Diminuir texto

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), votou por rejeitar uma denúncia contra a deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), presidente nacional do partido. Fachin é relator dos processos remanescentes da Operação Lava Jato na Corte. O caso está sendo julgado no plenário virtual, no qual os ministros votam de maneira remota. A sessão está prevista para terminar no dia 20 de novembro e, até o momento, Fachin foi o único a votar. A denúncia foi apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) em abril de 2018, tendo as delações premiadas de executivos da Odebrecht como fonte. No documento, Gleisi foi acusada de corrupção passiva e lavagem de dinheiro por, supostamente, ter recebido R$ 3 milhões em propina da empreiteira para arcar com despesas de campanha quando foi candidata ao governo do Paraná, nas eleições de 2014.

 

Segundo Fachin, há “insuficiência de elementos indiciários” para sustentar a denúncia, tendo “vácuos investigativos intransponíveis” para demonstrar os crimes que, supostamente, teriam sido praticados. Ainda de acordo com o ministro, os gastos apontados como ilícitos coincidem com os gastos de campanha declarados de maneira regular à Justiça Eleitoral. Ao rejeitar a denúncia, Fachin declarou a prescrição dos supostos crimes em relação ao ex-marido de Gleisi, o ex-ministro Paulo Bernardo. A parte da denúncia que acusava Leones Dall’agnol, coordenador da campanha de Gleisi, de corrupção passiva, também foi rejeitada. Os demais ministros ainda deverão se manifestar, com exceção de Cristiano Zanin, que está impedido de votar por ter atuado no processo.

Fonte: AN Notícias com JP Online

Galeria de Imagens